China retalia tarifas dos EUA e adota taxas sobre importações de soja

0
1733

A resposta da China aos planos da administração Trump de adotar tarifas de US$ 50 bilhões de dólares em bens chineses veio na manhã desta quarta-feira. O país asiático anunciou a retaliação de uma lista de taxas similares sobre importações dos Estados Unidos como soja, aviões, carros, produtos químicos.

Até o momento o governo chinês não havia anunciado medidas contra produtos vitais da economia americana, como a soja e os automóveis. É importante ressaltar que um terço da produção de soja americana é vendido para a China (US$ 14 bilhões no ano passado).

Em 2017 a China importou 95,5 milhões de toneladas de soja, sendo o Brasil o principal fornecedor com 50,9 milhões de toneladas (um avanço de 33,3% frente a 2016), seguido pelos Estados Unidos, que exportaram aos Chineses 32,8 milhões de toneladas (queda de 3,85% comparado ao ano de 2016).

Pequim demorou menos de 11 horas para responder a Washington com suas próprias medidas. A disputa comercial entre os dois países está ganhando força e provocou forte liquidação nos mercados acionários e de commodities.

O presidente americano, Donald Trump, negou que as medidas correspondam a uma guerra comercial entre as duas maiores potências econômicas do mundo: “Não estamos em uma guerra comercial com a China, essa guerra foi perdida há muitos anos pelas pessoas tolas, ou incompetentes, que representavam os EUA”, escreveu Trump no Twitter. No entanto, os investidores se questionam até onde uma das piores disputas comerciais em muitos anos pode ir.

O economista sênior da Capital Economics, Julian Evans-Pritchard, lembra que nenhum dos dois lados falou ainda em aplicação das tarifas e diz: “O pressuposto era de que a China não responderia agressivamente demais e evitaria aumentar as tensões. A resposta da China é uma surpresa para algumas pessoas”.

A China é o segundo maior parceiro comercial dos EUA e na última segunda-feira (02/04) já havia comunicado a imposição de taxas para um conjunto de 128 produtos americanos. Tal medida foi uma reação às tarifas que o governo americano anunciou no mês passado sobre as importações de aço e alumínios chineses.

A lista chinesa afeta produtos importantes de exportação dos EUA, como soja, carne congelada, algodão e outras commodities agrícolas. Esta nova retaliação prevê tarifas adicionais de 25% sobre bens dos EUA e cobre 106 itens com um valor comercial que corresponde aos 50 bilhões de dólares visados na lista de Washington. A data efetiva depende de quando a ação dos EUA entrar em vigor.

 

*A notícia foi divulgada na manhã desta quarta-feira (04/04) por algumas das principais agências de notícias: Reuters, G1, Estadão

Redação: Bruna Eduarda Meinen Feil, Assessora de Comunicação Equipe Mais Soja.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.