Família BoraginaceaeHoje vamos continuar com mais uma família que possui algumas espécies que podem atrapalhar na condução das lavouras, vamos ver a Família Boraginaceae.

As plantas daninhas da Família Boraginaceae estão distribuídas nas regiões tropicais e temperadas.

Esta família está representada por 140 gêneros e 2.700 espécies. No Brasil, temos aproximadamente 100 espécies desta família, representando 14 gêneros.

São plantas que preferem solos com maior teor de umidade e ocorrem com frequência nos cereais de inverno e nas pastagens.

É representada por espécies anuais ou perenes de porte herbáceo, arbustivo ou arbóreo.

Os gêneros mais importantes desta família são: Heliotropium e Cordia.

Os caules são eretos e carnosos nas herbáceas; as folhas são simples, com estípulas e alternas.

A principal característica desta família está no tipo de inflorescência cimeira escorpioide, caracterizadas por apresentar o ápice do eixo sempre enrolado e geralmente contendo flores abertas e em estágio de botão.

A inflorescência do tipo cimeira ou simpódio é aquela em que a flor terminal do eixo é a primeira a abrir, enquanto as demais se desenvolvem lateralmente. 

Inflorescência do tipo cimeira.

Nestas inflorescências, o eixo floral principal termina numa flor, que ao consumir o meristema apical da ramificação faz com que esta deixe de crescer quando a flor abre. Contudo, mais abaixo no mesmo eixo, formam-se gemas que se desenvolvem em ramificações secundárias, as quais também terminam em flores, deixando também de crescer quando estas abrem. 

Na cimera escorpioide os eixos são inseridos de forma alternada.

Figura 2: Eixos dispostos de forma alternada.

Fonte: Plantas e Flores do Areal.

O fruto é carnoso do tipo drupa, colorido na maturação e disseminado por aves.

As flores são tubulares e nascem nas axilas das brácteas, que são folhas modificadas com função de proteger o botão floral.

Figura 3: Flores tubulares.

Fonte: Plantas e Flores do Areal.

As principais espécies pertencentes a esta família são:

  • Echium plantagineum (flor-roxa);
Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes.
  • Heliotropium indicum (borragem-brava);
Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes.
  • Heliotropium elongatum (crista de galo);
Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes.
  • Heliotropium lanceolatum (sete sangrias);
Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes.
Fonte: Manual de Identificação de Plantas Infestantes.

Existem outros 2 casos de resistência para a planta daninha Echium plantagineum, os 2 são na Austrália, no ano de 1997, a herbicidas Inibidores da ALS.

  • resistência a chlorsulfuron e metosulam;
  • resistência a chlorsulfuron.

Conclusão

No texto de hoje vimos sobre as plantas daninhas pertencentes à Família Boraginaceae.

Entendemos melhor sobre as principais características das plantas daninhas desta família e os casos de resistência no Brasil.

O conhecimento da biologia das espécies de plantas daninhas nos auxilia na tomada de decisão, somente identificando corretamente as espécies é que poderemos selecionar o melhor método de controle. 

Referências utilizadas neste artigo:

Aspectos da biologia e manejo das plantas daninhas / organizado por Patrícia Andrea Monquero – São Carlos: RiMa Editora, 2014.

Manual de Identificação de Plantas Infestantes. Moreira e Bragança (2010). FMC.



Gostou do texto? Tem mais dicas sobre os classificação das plantas daninhas? Adoraria ver o seu comentário abaixo!

Sobre a Autora: Ana Ligia Girardeli é Engenheira Agrônoma formada na UFSCar. Mestra em Agricultura e Ambiente (UFSCar) e Doutora em Fitotecnia (USP/ESALQ). Atualmente está cursando MBA em Agronegócios.



Foto de capa:Manual de Identificação de Plantas Infestantes.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.