Recentemente o governo dos EUA aprovou um projeto de lei que suspende/reduz tarifas alfandegárias para uma gama de produtos importados pelas indústrias do país até o ano de 2020, dentre eles alguns produtos que são derivados do algodão.

Tal projeto tem como objetivo fornecer matéria-prima às indústrias norte-americanas, a fim de incentivar a competitividade e o crescimento do setor, no entanto, a retirada da taxa pode pressionar a balança comercial dos produtos de artigos têxteis no país norte-americano.

A medida chama atenção em meio às disputas comerciais com a China, em vista de que uma grande parte do volume dessas importações advém do país asiático, trazendo incertezas quanto à origem ofertante daqui para frente.

Assim, a medida traz atenção quanto aos possíveis impactos na relação de oferta e demanda da cotonicultura norte-americana.

Confira os principais destaques do boletim: 

• Por mais uma semana a paridade de exportação registrou queda, variando negativamente em 3,31% para dez/18 e 2,99% para jul/19, em razão da desvalorização observada nas cotações da ICE e do dólar.

• Em meio a expectativas mais otimistas quanto ao cenário eleitoral no Brasil, intervenções do BC e acontecimentos no cenário externo, o dólar exibiu um recuo de 1,57%.

• A cotação média do caroço disponível fechou a semana em R$ 358,23/t, apresentando queda de 0,44%, sobretudo, devido à maior disponibilidade do subproduto no mercado.

• Com a colheita de algodão em MT encerrada, os trabalhos de campo voltam-se neste momento para o carregamento de rolos, beneficiamento da pluma e destruição das soqueiras.

IMPACTOS NO PREÇO:

As cotações da pluma em NY recuaram pelo terceiro mês consecutivo. No mês de setembro a queda acumulada foi de 3,68%, fechando o mês a uma média de US$ 81,86/@. A pressão baixista se deu, principalmente, na segunda quinzena do mês, em decorrência da entrada de pluma disponível norte-americana.

Além disso, as tensões comerciais entre os EUA e a China, que ameaçam implementações de novas taxas nas importações em ambos os países, trazem atenção ao mercado quanto à destinação da demanda pela pluma norte-americana.

Os impactos disso na paridade de exportação da pluma mato-grossense não foram tão intensificados, fechando o mês com alta de 0,17%, devido valorização do dólar em 4,21%, que acabou por “segurar as pontas” nesse período.

No entanto, a desvalorização da moeda norte-americana nos últimos dias traz atenção quanto ao comportamento dos preços daqui para frente.

Fonte: IMEA

Texto originalmente publicado em:
Boletim semanal do algodão
Autor: IMEA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.