Com apenas alguns lotes restantes, a safra 17/18 alcançou 99,99% de comercialização, um avanço de 0,33 p.p em relação ao mês anterior, e com preço médio de R$ 62,69/sc. Apenas as regiões centro-sul, nordeste e oeste ainda possuem produto a comercializar.

Já para a safra 18/19, apesar da redução nas cotações no mês de janeiro a comercialização da oleaginosa registrou um avanço mensal de 7,20 p.p., totalizando 53,82% da safra já negociada, e com preço médio de R$ 61,05/sc, 0,62% menor que dezembro.

Este avanço pode ser justificado pela colheita mais adiantada nas lavouras, fazendo com que a maior oferta do grão pressione a comercialização. Junto a isso existem a necessidade por parte dos produtores em fazer caixa para cobrir algumas despesas, e também a demanda das fábricas para manterem os estoques de grãos para o esmagamento.

Confira os principais destaques do boletim: 

• O indicador MT fechou a semana com queda de 0,10% e média de R$ 60,57/sc, puxado pela queda do dólar e das cotações na bolsa de Chicago. No mesmo período no ano passado, registrava R$ 57,19/sc.

• A cotação do dólar teve mais uma semana de queda e registrou R$ 3,70/US$, recuo de 0,14%. Um dos fatores influentes foi a incerteza do mercado quanto à reforma da previdência.



• Com boas condições climáticas durante esta semana, que motivaram o ritmo acelerado nos trabalhos de campo, a colheita de soja no Estado avançou 15,85 p.p. e registrou 53,23% da área total estimada colhida.

• Assim como na semana anterior, o prêmio corrente para o porto de Paranaguá-PR continua subindo. Desta vez, fechando com elevação de 17,21%.

Aumento na exportação:

Na última semana houve a divulgação dos dados de exportação de soja referente ao mês de janeiro pelo Mdic. De acordo com o relatório, as exportações mato-grossenses representaram 15,69% do total de 2,15 milhões de toneladas exportada pelo país, um aumento de 4,38 p.p em relação ao mesmo período do ano passado.

O Estado exportou 337,94 mil toneladas em janeiro, um acréscimo de 6,46% em relação ao mês de dezembro, entretanto isso não se traduziu em receitas maiores, já que houve recuo de 1,08% no mesmo período resultando num total de receitas de aproximadamente US$ 125 milhões.

A China foi o principal destino da soja exportada pelo Estado em janeiro, com 91,65% do total. O país asiático aumentou em 37,01% o volume comprado, passando de 226,05 mil toneladas em dezembro para 309,72 mil toneladas em janeiro.

Dessa forma começa a janela de exportações que ganha ritmo a medida que a colheita no Estado avança.

Fonte: Imea

Texto originalmente publicado em:
Imea
Autor: IMEA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.