Os mais recentes números de SAFRAS & Mercado indicam que o ritmo dos negócios no Brasil está mais adiantado do que no ano passado, envolvendo inclusive operações antecipadas para a safra 2020/21.

A comercialização da safra 2019/20 de soja do Brasil envolve 49,8% da produção projetada, conforme relatório de SAFRAS & Mercado, com dados recolhidos até 7 de fevereiro. No relatório anterior, com dados de 13 de janeiro, o número era de 43,1%.

Em igual período do ano passado, a negociação envolvia 38,4% e a média para o período é de 39,5%. Levando-se em conta uma safra estimada em 124,554 milhões de toneladas, o total de soja já negociado é de 62,025 milhões de toneladas.

A venda antecipada para 2020/21 está estimada em 5,2%. Como SAFRAS ainda não tem projeção de safra para a próxima temporada, a base para cálculo foi a de uma produção igual a desse ano. Ou seja, cerca de 6,4 milhões de toneladas já foram comprometidas.



Mercado

O mercado brasileiro de soja teve uma semana de movimentação moderada e de dificuldades em definir uma tendência para os preços. Na quinta, por exemplo, cerca de 300 mil toneladas trocaram de mãos, número próximo ao movimento diário recente.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos seguiu em R$ 85,00. Na região das Missões, a cotação passou de R$ 83,50 para R$ 84,00. No porto de Rio Grande, o preço valorizou de R$ 89,50 para R$ 90,00.

Em Cascavel, no Paraná, o preço subiu de R$ 80,50 para R$ 81,00 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca avançou de R$ 89,00 para R$ 89,50.

Em Rondonópolis (MT), a saca seguiu em R$ 78,00. Em Dourados (MS), a cotação caiu de R$ 76,50 para R$ 75,50. Em Rio Verde (GO), a saca estabilizou em R$ 78,00.

Fonte: Agência SAFRAS

Texto originalmente publicado em:
Safras e Mercados
Autor: Dylan Della Pasqua - Agência SAFRAS

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.