A boa produtividade de culturas agrícolas está condicionada a uma série de fatores que podem exercer influência direta ou indireta no crescimento e desenvolvimento vegetal. Além do clima, as condições de solo podem interferir diretamente na produtividade das culturas, limitando a produção. Além da adequada nutrição e disponibilidade hídrica, é necessário que o solo apresente condições ideais para o bom crescimento e desenvolvimento vegetal, resultando no bom volume de raízes das plantas, e consequentemente, maior volume de solo explorado, água e nutrientes.

Um dos principais fatores limitantes da produtividade é a compactação. Umas das formas mais comuns de se mensurar a compactação do solo é pode meio da análise da resistência do solo à penetração, popularmente conhecida como RP. Conforme observado por Beulter & Centurion (2004), a produtividade da soja decresce com o aumento da resistência do solo á penetração (Figura 1). Elevadas resistências do solo à penetração podem resultar em significativas perdas produtivas, mesmo havendo condições adequadas de disponibilidade hídrica e nutrientes para as plantas.

Figura 1. Produtividade da soja em função da compactação do solo (resistência do solo à penetração).

Fonte: Beulter & Centurion (2004)

Resultados similares foram obtidos para a cultura do milho por Freddi et al. (2007), demonstrando a redução da produtividade do milho, e medida em que há o aumento da resistência do solo à penetração.

Figura 2. Regressão entre a resistência mecânica à penetração e a produtividade de grãos do milho.

As barras referem-se ao erro-padrão da média, e a não-sobreposição delas indica diferença significativa entre os tratamentos. Fonte: Freddi et al. (2007)

A resistência do solo à penetração pode ser diretamente relacionada a compactação do solo, podendo inclusive dar noções da qualidade física do solo. Conforme destacado por Tiecher (2016), a compactação resulta em modificações na estrutura do solo, com aumento de densidade e da resistência mecânica ao crescimento das raízes das plantas, podendo também, causar reduções na porosidade (principalmente a macroporosidade do solo), alterando características do solo como espaço aéreo, condutividade hidráulica, taxa de infiltração de água, permeabilidade entre outros.



Quais fatores afetam a compactação do solo?

A compactação do solo pode ser ocasionada principalmente pelo tráfego de máquinas e/ou equipamentos agrícolas e pelo pisoteio de animais. A pressão exercida pelo rodado das máquinas e/ou equipamentos agrícolas e pelos cascos dos animais, seguido pela repetição da passagem nas áreas de produção acarreta no aumento da compactação do solo. A relação entre área de contato e pressão exercida sobre o solo, também influência na camada de solo compactada.

Figura 3. À esquerda: Representação da propagação da pressão em profundidade gerada por um trator e pelo casco do gado; À direita: Pressão estática gerada pelo gado e por pneu de um trator de 75 CV.

(P) área de contato e pressão por pata. * Fonte: valores calculados com base em Watkin & Clements (1978). **Trator (75 cv): pneu dianteiro (D) n° 12.4-24 R1 e traseiro (T) 18.4-30 R199 (40 % D e 60 % T); Fonte: Cortez et al. (2014). Adaptado: Teicher (2016)

Além da pressão exercida e área de contato, uma das principais variáveis que influencia a compactação do solo é a sua umidade. Conforme destacado por Tiecher (2016), o uso do solo em condições úmidas pode agravar a compactação do solo, acentuando seus efeitos. Embora possa variar em função de características mineralógicas e físicas do solo, de modo geral, a umidade do solo influencia sua suscetibilidade à compactação, ficando mais suscetível em condições de solo plástico.

Figura 4. Teor de umidade do solo e suscetibilidade à compactação.

Fonte: Kaizer (2016), Apud. Teicher (2016).

Tendo em vista os aspectos observados, práticas de manejo como a adequação da taxa de lotação de animais em áreas agrícolas em sistemas de integração lavoura pecuária, assim como a entrada de máquinas em condições adequadas de umidade do solo, contribuem para a redução da intensidade da compactação do solo. Além disso, a rotação de culturas, utilizando plantas com agressivo sistema radicular, e a boa cobertura do solo com abundante palhada residual, podem mitigar os efeitos da compactação do solo em lavouras agrícolas.


Veja mais: Culturas de cobertura – Manejo de nematoides e ciclagem de nutrientes


Referências:

BEULTER, A. N.; CENTURION, J. F. COMPACTAÇÃO DO SOLO NO DESENVOLVIMENTO RADICULAR E NA PRODUTIVIDADE DA SOJA. Pesq. agropec. bras., Brasília, v.39, n.6, p.581-588, jun. 2004. Disponível em: < https://www.scielo.br/j/pab/a/Z4R3tnf59YV7bcpwbykQjnh/?format=pdf&lang=pt >, acesso em: 05/05/2022.

FREDDI, O. S. et al. COMPACTAÇÃO DO SOLO NO CRESCIMENTO RADICULAR E PRODUTIVIDADE DA CULTURA DO MILHO. R. Bras. Ci. Solo, 31:627-636, 2007. Disponível em: < https://www.scielo.br/j/rbcs/a/RnWNMHpJ6qpjZtLVtRGzD3k/?format=pdf&lang=pt >, acesso em: 05/05/2022.

TEICHER, T. MANEJO E CONSERVAÇÃO DO SOLO E DA ÁGUA EM PEQUENAS PROPRIEDADES RURAIS NO SUL DO BRASIL: PRÁTICAS ALTERNATIVAS DE MANEJO VISANDO A CONSERVAÇÃO DO SOLO E DA ÁGUA. UFRGS, Porto Alegre, 2016. Disponível em: < https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/149123/001005239.pdf?sequence=1&isAllowed=y >, acesso em: 20/05/2022.

Acompanhe nosso site, siga nossas mídias sociais (SiteFacebookInstagramLinkedinCanal no YouTube)

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.