Os dados divulgados pelo Imea em agosto de 2019 mostraram números menores no que se refere ao volume de soja processada no estado. De acordo com o levantamento, a quantidade esmagada somou 794,06 mil toneladas, valor 8,54% menor que o obtido em julho/19. Apesar disso, o acumulado de janeiro a agosto de 2019 fechou em 6,64 milhões de toneladas, uma sutil redução de 1,00% se comparado ao acumulado do mesmo período do ano anterior.

Um dos fatores que influenciou neste recuo foi a parada para a manutenção de algumas plantas industriais, aliado a timidez na margem do esmagamento decorrente, principalmente, da valorização do grão no mês de agosto.

Assim como no esmagamento, as exportações de farelo e óleo também foram menores, que segundo os dados do Mdic, no agregado do ano já acumulam uma retração de 13,74% e 21,09% em relação ao mesmo período de 2018, respectivamente.

Confira os principais destaques do boletim: 

• O preço médio do grão em MT fechou cotado a R$ 72,08/sc na última semana, novamente apresentando leve retração, desta vez de 0,21%. A desvalorização semanal do dólar impactou nas cotações.

• A moeda norte-americana fechou a última semana com recuo de 1,15%, a R$ 4,09/US$, influenciada pela redução das tensões comerciais entre EUA e China e divulgações do Banco Central Europeu.



• Devido à indicação de um avanço nas negociações entre os EUA e a China, a cotação na bolsa de Chicago CME corrente apresentou alta de 1,63%, a US$ 8,78/bushel.

• A relação soja farelo/óleo fechou a semana novamente com alta, desta vez de 36,94%, ainda influenciada pela baixa nas cotações da oleaginosa.

LEVE AJUSTE:

Os novos dados de custo de produção referente ao mês de agosto foram divulgados pelo Imea, apontando um custo maior para o bolso do produtor. Desta vez, o custo variável mensal é de R$ 3.144,41/ha, elevação de 2,51% ante o mês anterior.

O destaque para a elevação foi a valorização na moeda norte-americana, que apresentou alta de 6,4% (média mensal de agosto em relação a julho). Dessa forma, o custo ponderado mensal fechou em R$ 3.147,11/ha para agosto, registrando alta de 0,09% ante ao mês anterior.

Em uma análise simples do comportamento dos custos de produção ao longo de 2019, percebe-se que o momento da aquisição dos insumos pode ser um dos fatores chave para o sucesso da atividade, visto que a diferença entre o maior e o menor custo variável registrado neste ano, chegou a R$ 139,56/ha. Cenário que reforça a importância de o produtor ficar atento ao mercado e aproveitar as oportunidades para realizar os melhores negócios.

Fonte: IMEA

Texto originalmente publicado em:
Imea
Autor: IMEA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.