Um total de quatro mil produtores se inscreveu para o Desafio de Máxima Produtividade de Soja do Comitê Estratégico Soja Brasil (CESB). O destaque desta edição de 2018/2019 fica para o aumento em termos de área plantada, em hectares. Neste ano o Desafio conseguiu atingir 11,5% das plantações de soja do Brasil, o que representa 4,14 milhões de hectares. No total, o Brasil conta hoje com cerca de 36 milhões de hectares.

No Desafio do ano passado, o total de inscritos representava 10% de todas as plantações de soja em território brasileiro. Percentual que subiu para 11,5% nesta edição.

O diretor executivo do CESB, Luiz Antonio da Silva, afirma que esse resultado de crescimento nas áreas refletiu numa maior participação de diversas regiões do País nesta edição. “Percebemos o crescimento de inscrições em diversas regiões do País, tendo produtores de soja espalhados por todo o Brasil.

Isso mostra que eles estão preocupados em incrementar as suas produções, contando com informações geradas pelo CESB para garantir uma boa colheita neste ano difícil para a oleaginosa”, ressalta. Outro destaque é que cada inscrição do Desafio de Máxima Produtividade influencia pelos menos quatro pessoas ligadas ao cultivo. Sendo assim, pelo menos 16 mil pessoas na safra 2018/2019 se relacionam de forma direta com as informações coletadas e compartilhadas em nível de campo.

A adaptabilidade da soja também chama a atenção nesta edição, demonstrando que o cultivo pode ser feito de norte a sul do Brasil. Dentre os quatro mil produtores inscritos, a Região Sul contemplou 61,8% deles, seguida das regiões Sudeste (16,3%), Centro-Oeste (15,1%), Nordeste (4,9%) e Norte (1,8%) do Brasil. O desafio demonstra uma maior participação das regiões Sudeste, Nordeste e Norte nesta edição, em comparação às edições passadas. Dentre os 26 estados, 54% deles participam do Desafio CESB. Já entre os 5570 municípios do Brasil, estão participando 16% do total.

O objetivo do concurso é propagar informação e conhecimento, para que o sojicultor possa atingir novos patamares de produção com rentabilidade e sustentabilidade dentro de uma mesma unidade de área, evitando assim, desmatamento desnecessário. Os vencedores serão conhecidos em junho deste ano, durante o Fórum Nacional de Máxima Produtividade.



Auditorias

Com as inscrições encerradas, o CESB inicia a etapa de auditorias das áreas mais produtivas de soja no Brasil. A previsão é que sejam realizadas 700 auditorias nesta edição. No ano passado foram 573.

A auditoria do CESB é reconhecida nacionalmente e internacionalmente pelo trabalho de excelência, conferindo credibilidade nos números gerados. A cada safra o produtor compra a ideia de ser desafiado a entender seu ambiente de produção e produzir cada vez mais soja por unidade de área, destacando uma das premissas do Desafio, que seria promover a produção sustentável da oleaginosa.

As auditorias do CESB são realizadas de maneira independente, isenta e por uma empresa especializada, que vem prestando serviços com mão de obra qualificada e voltada para o agronegócio há mais de 12 anos. Os participantes receberão gratuitamente um laudo/relatório das áreas auditadas, contendo o georreferenciamento da área auditada; um descritivo do campo de produção; informações técnicas de manejo, transporte, classificação e pesagem; registro fotográfico; e um certificado com sua classificação no Desafio.

Para solicitar a auditoria, o produtor necessita estar devidamente inscrito no Desafio, preencher devidamente todas as etapas e módulos agronômicos e informar a previsão de safra. Demais informações estão no site do CESB: www.cesbrasil.org.br.

Se a colheita esperada for acima de 90 sacas/ha (5400 kg/ha), o produtor deverá chamar a auditoria oficial do CESB para acompanhamento. É preciso também solicitar, no site do CESB, a presença da empresa oficial de auditagem com antecedência mínima de quatro dias.

O custo da auditagem para a produtividade para acima de 90 sc/ha é de responsabilidade do CESB. Nos casos em que a produtividade for menor que 90 sc/ha, o custo de auditagem é de responsabilidade de quem acionou a auditagem, no caso o produtor ou consultor.

Sobre o CESB:

O CESB é uma entidade sem fins lucrativos, formada por profissionais e pesquisadores de diversas áreas, que se uniram para trabalhar estrategicamente e utilizar os conhecimentos adquiridos nas suas respectivas carreiras e vivências, em prol da sojicultura brasileira.

O CESB é qualificado como uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), nos termos da Lei n° 9.790, de 23 de março de 1999, conforme decisão proferida pelo Ministério da Justiça, publicada no Diário Oficial da União de 04 de dezembro de 2009.

Atualmente, o CESB é composto por 23 membros e 25 entidades patrocinadoras: Syngenta, BASF, Bayer, Jacto, Timac, Mosaic, Kuhlmann, TMG, Stoller, FMC, Monsanto, ATTO Adriana Sementes, Agrichem, UPL do Brasil, Aprosoja MT, Produquímica/Compass Minerals, Instituto Phytus, Corteva, Brasmax, Nidera, Albaugh, Datafarm, Brandt, Orion e Somar. 

Fonte: Assessoria de Imprensa CESB

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.