Trabalho de pesquisa realizado em conjunto entre as universidades UNESP e UFPR objetivou avaliar o efeito de espécies de cobertura de inverno sobre o desempenho agronômico de soja ( Glycine max ) cultivada em sucessão, em sistema plantio direto. O trabalho foi publicado na revista Pesquisa Agropecuária Brasileira,  vol. 53 no.8 Brasília, de agosto de 2018 e você pode acessar na íntegra aqui.

Pensando na importância de rotacionar cultivos nos sistemas agrícolas, e também na contribuição da manutenção da palhada no sistema é que trabalhos como esse, a cerca dos benefícios com o uso da rotação de culturas (RC) são feitos. 

Debiase et al. 2010, elencam algumas contribuições advindas com a adoção da RC: manutenção da qualidade do solo; redução de pragas, doenças e ervas daninhas; diversificação da agricultura, reduzindo riscos de quebra de safras; maiores rendimentos e, consequentemente, menores custos; o uso eficiente de fatores de produção.

Portanto para desfrutar dos benefícios da RC é preciso escolher as plantas certas, como rotacioná-las, e a dinâmica de cada uma no sistema. E segundo os autores além de saber os efeitos das culturas de cobertura no sistema de produção, é indispensável conhecer sua influência no desempenho das culturas de soja.


Leia mais

Efeito de plantas de cobertura em cultivo solteiro e consorciado na produtividade da soja


Tendo em vista todos os fatores elencados e o baixo número de trabalhos com esta temática conduzidos à longo prazo é que este trabalho foi feito.

O estudo foi realizado no campo, no município de Marechal Cândido Rondon, Paraná, durante o ano de 2011. 2012/2012, 2012/2013 e 2013/2014. Os tratamentos consistiram das plantas de cobertura aveia branca, aveia preta, azevém ( Lolium multiflorum Lam.), Ervilhaca ( Vicia sativa L.), nabo forrageiro ( Raphanus sativus L.) e aveia preta consorciada com nabo forrageiro. O trigo ( Triticum aestivum L.) foi considerado o manejo padrão. A cultivar de soja utilizada foi a SYN1059 (VTop), plantada na primeira quinzena de outubro.

Após avaliados, os dados mostram que o nabo forrageiro ( Raphanus sativus ) e a aveia preta consorciada ( Avena strigosa ) + nabo forrageiro apresentam maior produtividade de matéria seca. Os dados de massa seca aos 20 dias estão demonstrados na Tabela 1.

Os autores chamam atenção para este resultado, e elencam que deve ser notado que o nabo forrageiro pode produzir grandes quantidades de matéria seca. Contudo, os rendimentos aqui encontrados foram altos, e isso se deve porque a produção de matéria seca foi estimada 20 dias após o florescimento total no presente estudo. Portanto, o consórcio de aveia preta + nabo forrageiro é uma excelente opção para os sistemas de sucessão, uma vez que produziu produção de matéria seca acima desse mínimo nas três safras.

A longo prazo a Aveia branca ( Avena sativa ) e azevém ( Lolium multiflorum ) apresentam a maior taxa de cobertura do solo e isso pode ser visto na Tabela 2.  Isso se deve pelo fato de que aveia branca e azevém apresentam maiores relações C / N em seus resíduos, reduzindo a taxa de decomposição da palha e proporcionando maior porcentagem de cobertura do solo ao longo do tempo. 

No que diz respeito a rendimento da cultura soja, os resultados mostram que a produção de soja ( Glycine max ) aumenta quando plantada em sucessão às culturas de cobertura de inverno, principalmente após o segundo ano de adoção do sistema, e que a aveia preta e a aveia preta consorciada + nabo forrageiro têm maior potencial para aumentar a produção de soja. Estes resultados estão evidenciados na Tabela abaixo:

Tabela 6.  Produtividade de soja ( Glycine max ) cultivadas após culturas de cobertura, nas safras 2011/2012, 2012/2013 e 2013/2014 (1) . 

(1) Médias seguidas por letras iguais, maiúsculas nas colunas e minúsculas nas linhas, não diferem significativamente pelo teste de Tukey, a 5% de probabilidade.

Segundo os autores as raízes da aveia preta e do nabo forrageiro são capazes de crescer em camadas de solo compactadas, o que aumenta a exploração do solo e pode melhorar as condições físicas do solo ( Müller et al., 2001 ; Silva & Rosolem, 2002 ; Cardoso et al., 2014 ). Além de se ter com o uso de aveia preta a liberação gradual de nutrientes como N, P, Ca e S ao longo do tempo.

Diante dos resultados apresentados pelos autores, é possível observar a importância da RC, do estudo da dinâmica das plantas no solo, e os impactos da utilização de plantas que produzam cobertura do solo, mas também este trabalho traz como importante resultado que a real eficiência de um sistema se apresenta a longo prazo, por isso é preciso conduzir a lavoura e as praticas de cultivo com este pensamento, isso levará a um patamar de sustentabilidade e rendimento maior.

Autores: Fábio Henrique Krenchinski, Victor José Salomão Cesco, Danilo Morilha Rodrigues, Leandro Paiola Albrecht, Katle Samaya Wobeto, Alfredo Júnior Paiola Albrecht

O trabalho foi publicado na revista Pesquisa Agropecuária Brasileira,  vol. 53 no.8 Brasília, de agosto de 2018 e você pode acessar na íntegra aqui.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.