A produtividade da cultura da soja leva em consideração a interação entre a planta, ambiente de produção e o manejo utilizado. Quando falamos em manejo, a densidade de planta é um fator que influencia de forma direta no rendimento da cultura, isso porque a densidade de plantas influencia no crescimento e o desenvolvimento das culturas, alterando disponibilidade dos recursos água, luz e nutrientes.

Contudo, a soja é capaz de alterar sua arquitetura adequando-os às condições impostas pelo arranjo espacial de plantas e permitindo ampla variação no número de indivíduos, sem grandes alterações na produtividade. O principal mecanismo da soja para compensação da produção de grãos em virtude da redução da densidade é a maior ramificação, elevando o número de grãos produzidos por planta (FERREIRA et al., 2018).

Em decorrência da importância da soja no contexto da produção de grãos e da recente prática de alguns produtores em realizar plantios adensados é importante estudar e conhecer o comportamento da cultura de forma aprofundada a fim de quantificar a relação entre a densidade de plantas e o rendimento da cultura.



Um estudo dos pesquisadores VIEIRA, N.D., PRANDO, A.M., SILVA FILHO, P.M. (acesse o trabalho completo publicado no VIII Congresso Brasileiro de Soja, clicando aqui), avaliou o efeito da densidade de plantas das cultivares de soja BRS 360 RR e NS 6262 RR sobre os componentes de rendimento e a produtividade.

Foram avaliadas duas cultivares de soja com hábito crescimento indeterminado (BRS 360 RR e NS 6262 RR) e quatro densidades de plantio (4, 8, 12 e 13 plantas por metro linear).


Fique informado, leia também: Índice de área foliar de duas cultivares de soja em resposta à redução da densidade de plantas


Diante da metodologia exposta, os resultados obtidos com o trabalho são claros e mostram uma tendência de elevação do porte das plantas, a medida que se elevou as densidades. Ambas as cultivares apresentaram bom potencial produtivo, a BRS 360 RR produziu em média 4.091 kg.ha¹ e a NS 6262 RR 3.985 kg.ha¹, ficando acima das médias nacional e estadual do ano em que o ensaio foi conduzido que foi de 2.957 e 3.305 kg.ha¹ respectivamente. Resultados da produtividade em função do espaçamento podem ser conferidos na Figura 1.

O que dizem outros trabalhos nesta linha ...

Trabalho publicado em nosso portal (acesse o trabalho aqui), de autoria de Hananda Hellen Da Silva Gomes et al, mostra que o aumento da densidade de plantas na linha proporciona incremento significativo na altura de plantas, altura de inserção da primeira vagem e da produtividade de grãos e redução no diâmetro do caule, número de vagens total, matéria seca de grãos e de cascas da soja cv. BRS 8381 cultivada em área de cerrado de Roraima.

Tabela 1. Valores médios de componentes de produção obtidos na soja BRS 8381 conduzida em quatro densidades (DENSID) de plantas na linha, no campo experimental Água Boa – safra 2016.

Redução do espaçamento entre linhas na cultura da soja e sua influência sobre a arquitetura de planta tem sido um tema intrigante, e diante dessa inquietação a EMBRAPA gerou informações, que são compilados de inúmeras pesquisas. Essa pesquisa demonstra que vários trabalhos têm elecando a baixa resposta da cultura da soja às variações de densidade de plantas (HEIFFIG et al., 2006; PROCÓPIO et al., 2013).

Essas constatações podem ser explicadas pela alta plasticidade fenotípica dessa espécie, definida como a capacidade da planta em alterar sua morfologia e componentes de rendimento frente às mudanças no arranjo espacial dos indivíduos (RAMBO et al., 2004). Desse modo, a soja possui alta habilidade em compensar menores densidades de plantas, principalmente formando maior número de legumes por indivíduo (HEIFFIG et al., 2006; PROCÓPIO et al., 2013).

Em relação ao efeito do espaçamento entre as fileiras, há resultados discrepantes na literatura (RAMBO et al., 2003; HEIFFIG et al., 2006), o que é previsível, considerando que essa resposta é dependente das cultivares e do ambiente de cultivo. Ou seja, é necessário atualizar os estudos com diferentes espaçamentos entre fileiras e densidades de plantas utilizando cultivares e práticas de manejo atualmente preconizadas pela pesquisa.

Bibliografia de apoio: 

Publicação base da nota técnica foi publicada em VIII Congresso Brasileiro de Soja. Título: Desempenho produtivo de cultivares de soja em função da densidade de plantas, dos autores VIEIRA, N.D., PRANDO, A.M., SILVA FILHO, P.M. Acesse aqui.

Redução do espaçamento entre linhas na cultura da soja, Circular Técnica 106, Embrapa, 2014, dos autores Alvadi Antonio Balbinot Junior, Sergio de Oliveira Procópio, Henrique Debiasi e Julio Cezar Franchini. Acesse aqui.

 

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.