Desempenho vegetativo do milho sob aplicação de clethodim em pré-semeadura

0
15780

Autores: Andreos dos Santos Becker1, Henrique Fabricio Placido2, Mateus Dalpubel Mattiuzzi1, Leandro Paiola Albrecht1, Alfredo Junior Paiola Albrecht1, Weslei Gomes dos Santos1, Roger Nardi1.

1 Universidade Federal do Paraná, Palotina, PR, Brasil/matmattiuzzi@gmail.com

2 Universidade de São Paulo, ESALQ, Piracicaba, SP, Brasil

No sistema de produção soja-milho segunda safra existem complicadores no manejo de plantas daninhas, deste modo o herbicida clethodim destaca-se como uma opção no controle de espécies resistentes ao glyphosate. Objetivou-se neste trabalho avaliar o efeito residual de clethodim em pré-semeadura da cultura do milho.

Em delineamento inteiramente casualizado com quatro repetições, em arranjo fatorial 4X6, instalado em casa de vegetação, avaliaram-se quatro híbridos de milho (Dekalb 290 Vtpro3; Dow 2B810 Power Core; Syngenta Status Viptera 3; Dekalb 340 Vtpro2) e seis manejos, sendo 5 períodos de aplicação de clethodim (15, 10, 5, 3, 1 dias antecedendo a semeadura – DAS) e um tratamento sem aplicação, utilizou-se a dose de 196,80 g i.a. ha-1.

Analisando a germinação das plântulas de milho após 7 dias da semeadura, realizando a altura das plantas aos 11 dias após a emergência e semanalmente prosseguiu-se com a avaliação até os 67 dias após a emergência.Realizou-se a análise de variância e quando necessário os desdobramentos desta. As médias formam comparadas pelo teste de Tukey a 5%.

Como resultado no tratamento de 1 DAS, notou-se grande residual, pois germinaram poucas sementes de todos os híbridos e estas que germinaram ficaram debilitadas, consequentemente diminuído drasticamente a altura.

Já para o tratamentos de 3 e 5 DAS notou-se redução na altura nas primeiras semanas de avaliação em todos os híbridos.

Para as demais semanas avaliadas, não ocorreram diferença na altura e na germinação. Assim, observa-se que o clethodim deve ser posicionado com intervalo da aplicação superior a 5 DAS do milho.

Palavras chave: Zea mays, graminicida, residual, plantas daninhas.

Sessão: Controle químico de plantas daninhas em cereais e fibrosas (milho, trigo, arroz, sorgo, aveia, algodão, etc.)

Sobre o Autor:

O Supra Pesquisas (Grupo de Pesquisas em Sistemas Sustentáveis de Produção Agrícola) atua na área de fitotecnia, buscando solucionar problemas de produtores rurais, técnicos e empresas nacionais e multinacionais, através do conhecimento cientifico e a experimentação agrícola. E assim ser reconhecido como um grupo de pesquisa de alto padrão de qualidade e conhecimento técnico. Acesse também o Link aqui.

Fonte: Anais do XXX Congresso Brasileiro da Ciência das Plantas Daninhas

Acesse o link dos Anais aqui.

Leia mais sobre o assunto no trabalho Produtividade do milho em resposta a doses de clethodim.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.