Planejamento de colheita, autonomia no controle de plantas daninhas prejudiciais no momento de colher, aproveitamento eficiente de máquinas, menor tempo de exposição a   pragas e fungos de fim de ciclo, uniformidade de maturação de stand, além de diminuir as chances de atraso de colheito, estes, são apenas alguns dos benefícios da dessecação em pré-colheita de soja. Isso tudo é possível graças a produtos que permitem ação sobre a membrana do cultivo, fazendo com que ela tenha perda de água de forma mais rápida do que o natural.

“R6: Grão verde ou vagem cheia: Uma vagem contendo grãos verdes preenchendo as cavidades da vagem de um dos 4 últimos nós da haste principal, com folha completamente desenvolvida”

A alguns anos tem sido padronizado como momento ideal da dessecação o estádio R 7.3, onde as plantas de soja apresentam 75% de folhas e vagens amarelas.  Questionando-se sobre a exatidão da recomendação, ADEGAS, F.S., MOREIRA, A., PÍPOLO, A.E.1, LORINI, I., GAZZIERO, D.L.P., HENNING, F.A., OLIVEIRA, M.A., MANDARINO, J.M.G., BETIOLI JR, E., FURLANETTO, R.H., pesquisadores da Embrapa e Cocamar, desenvolveram um estudo utilizando o herbicida paraquat. O trabalho está publicado nos Anais do VIII Congresso brasileiro da Soja, Sessão de Plantas Daninhas, clique e acesse aqui.


Leia mais: Influência dos períodos de dessecação de Brachiaria na cultura do milho


Os resultados deste trabalho apresentaram que dessecações de pré-colheita da soja realizadas antes do estádio R6+8 dias, interferem negativamente na produtividade da cultura. Os resultados das avaliações estão apresentados na tabela abaixo:

Tabela 1. Produtividade da soja (kg ha¹ ), em função dos diferentes estádios da dessecação de pré-colheita da cultura, nos experimentos realizados em Londrina e Floresta, no Estado do Paraná, na safra 2017/18.



Um estudo realizado por LAMEGO, F.P., GALLON, M., BASSO, C.J., KULCZYNSKI, S.M., RUCHEL, Q., KASPARY, T.E. e SANTI, A.L. publicado na Revista Planta Daninha, Viçosa-MG, v. 31, n. 4, p. 929-938, 2013, disponível aqui, nesta mesma linha de avaliação de período de dessecação e a relação do mesmo com a produtividade, demonstrou que a aplicação de paraquat como dessecante na pré-colheita da soja, nos estádios R6 e R7.1, provoca queda acentuada na produtividade da cultura. A dessecação sem perda de potencial produtivo da soja só é viável a partir do estádio R7.3. Confira a Tabela 1.

Tabela 1 – Produtividade de grãos, peso de mil sementes (PMS) e teste de germinação (TG) de soja, sob efeito da aplicação de dessecante paraquat (240 g i.a. ha-1), em diferentes estádios na pré-colheita da soja, cv. Energia RR. Jaboticaba, RS, e UFSM, Campus de Frederico Westphalen, RS, 2010/11

Quanto a germinação das sementes, as sementes oriundas de dessecação nos estádios R6 e R7.1, mostraram-se inicialmente mais vigorosas que as demais, tendo uma maior velocidade de germinação.


Relacionado: Herbicida pré-emergente: complemento da dessecação e facilitador do controle em pós emergência na soja


Pensando também em produtividade de grãos em função de períodos de dessecação pré-colheita de cultivares de soja, confira na integra o trabalho divulgado pelo Portal Mais Soja, clicando aqui. Este trabalho apresenta o estádio R 6 como sendo ideal para dessecação pré-colheita para as cultivares BRS 7980, BRS, 7680 RR, BRS 7780 IPRO e M 8372 IPRO e R 7.1 para a cultivar 7380 RR. Confira abaixo a tabela com os rendimentos das cultivares em função dos períodos.

Tabela 3. Resumo das análises de variância dos diferentes experimentos de períodos de dessecação pré-colheita de soja. Sinop-MT, safra 2017-2018.

A dessecação deve ser feita no momento certo, a aplicação fora do momento ideal em geral pode causar prejuízo na produtividade de soja. Consulte sempre um Engenheiro Agrônomo!


No Ciência em Prática você  confere informações sobre o Estabelecimento da cultura da soja. Quer mais produtividade? Fica ligado!!! 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.