A soja é uma espécie muito responsiva aos manejos, gerando produtividade acima de 60 sacos por hectare. Entretanto, aumentar essa produtividade sem expandir a área plantada é um desafio que o agronegócio enfrenta. Para isso, é necessário ter informações, técnicas e tecnologias adequadas que garantam a prosperidade dos sojicultores e consolidem, cada vez mais, o Brasil como referência mundial na produção de alimentos.

Sérgio Abud, biólogo da Embrapa e membro do Comitê Estratégico de Soja Brasil (CESB), assegura que a agricultura 4.0 é uma realidade e que é necessário a utilização de recursos qualificados para identificar, entender e corrigir os problemas de uma lavoura. Veja abaixo dicas importantes do biólogo para o correto manejo no cultivo da soja.

  • Perfil do solo

Faça uma correta construção do perfil do solo, identificando suas características para assim corrigi-las conforme necessário. O importante é possibilitar uma boa saúde química, física e biológica da terra, para o desenvolvimento sadio das plantas. Sem esquecer, é claro, de propiciar um bom armazenamento de água e de oxigênio no solo, que são necessários ao longo de todo o ciclo.

  • Cuidados com o talhão

Escolha a melhor variedade para cada talhão ou ambiente de produção. Variedades não adaptadas a esses ambientes resultam em plantas mal desenvolvidas, com baixa produtividade. Assim, faça escolhas assertivas e assegure que as variedades sejam plantadas de maneira correta, com o posicionamento e o espaço necessários para que cada planta expresse o máximo do seu potencial produtivo.

  • Tratamento de sementes (TS)

Plante na melhor janela de semeadura, com um bom tratamento de sementes, garantindo um excelente arranjo e população de plantas adequada para cada variedade. A escolha de sementes com baixo vigor e germinação resultam em falhas na lavoura, ou ainda em plantas com lento desenvolvimento, raquíticas. O tratamento de sementes garante a proteção contra pragas e doenças, a manutenção do vigor e da germinação, e a máxima expressão gênica, com um rápido desenvolvimento inicial das plântulas.

  • Atenção com pragas

O TS deve ser feito com o uso de fungicidas e inseticidas corretamente. As daninhas competem com as plantas por água, nutrientes e luz, por isso é fundamental monitorar bem a lavoura para combatê-las. Faça o manejo integrado de plantas daninhas, pragas e doenças, com produtos registrados no MAPA. Dê preferência a produtos biológicos e evite produtos sem comprovação científica. O manejo fitossanitário deve ser feito com o produto certo para cada doença, em função do ciclo da cultura e do patossistema. Siga as instruções agronômicas do programa fitossanitário, pois o manejo e a dessecação corretos asseguram que os fotoassimilados possam ser translocados devidamente.

  • Manejo no tempo correto

Todo o manejo da lavoura deve ser feito no tempo adequado. Práticas que proporcionam elevadas performances agronômicas, associadas à eficiência climática de cada ano, resultam nos recordes de produtividades atingidos pelos sojicultores participantes do Desafio do CESB. Plantios muito antecipados ou tardios podem reduzir a produtividade, assim como dessecação muito antecipada pode causar perdas de folhas ainda verdes e prejudicar a translocação dos fotoassimilados, reduzindo o peso de grãos e a produtividade da lavoura. Colheita antecipada, atrasada ou sem uma boa regulagem de máquina reduzem a produtividade e causam problemas com soja “guacha” ou “tiguera”. Regule bem as máquinas e colha na velocidade certa. Ao fazer o bom uso dessas práticas, você estará garantindo a sustentabilidade de sua lavoura.

Sobre CESB

CESB é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), que tem por objetivo alavancar a produtividade da soja no Brasil. O comitê é composto por 22 membros e 30 entidades patrocinadoras: Syngenta, Basf, Bayer, Mosaic, Superbac, Jacto, Corteva, Instituto Phytus, Eurochem, Compass Minerals, ATTO Adriana Sementes, Stoller, UPL, Timac Agro, Brasmax, FMC, Stara, Datafarm, Viter, Somar Serviços Agro, Ubyfol, Fortgreen, KWS, Yara, Sumitomo Chemical, Adama, Agrivalle, Seedcorp, FT sementes e IBRA. 

Fonte: Assessoria de imprensa CESB

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.