O objetivo desse trabalho foi avaliar a influência de diferentes temperaturas na germinação de capim-amargoso.

Autores: João Paulo Costa¹, Maria T. B. DA Silva1, Aurélio C. S. Moreira1,               Gabriella D. O. P. Carneiro1.

Trabalho disponível nos Anais do Evento e publicado com o consentimento dos autores.

Introdução

O capim-amargoso (Digitaria insularis (L.) Fedde) é uma espécie nativa de regiões subtropicais e tropicais a América. No Brasil, esta espécie tem se tornado uma planta daninha dominante em lavouras de cereais, café, pomares e áreas de oleaginosas, principalmente após o advento do sistema de plantio direto (LEMES et al., 2010; HEAP, 2013). A dominância do capim-amargoso em lavouras se deve as suas características de agressividade, como grande produção de biomassa, grande produção de sementes e formação de rizomas (GAZZIERO et al., 2012). Além disso, alguns biótipos dessa espécie apresentam resistência ao glyphosate (inibidor da enolpiruvilshiquimato-3-fostato sintase–EPSPs) e aos herbicidas do grupo químico ariloxifenoxipropionato (inibidores da acetil-coA carboxilase –Accase) (HEAP, WEEDSCIENCE, 2018). O capim-amargoso é uma planta daninha que interfere em diversas culturas causando prejuízos na qualidade final do produto e na produtividade. O estudo dos fatores ambientais, como a temperatura, pode possibilitar a elaboração de um plano de manejo adequado.

Diante disso, o objetivo desse trabalho foi avaliar a influência de diferentes temperaturas na germinação de capim-amargoso. O experimento foi conduzido no Laboratório Núcleo de Pesquisa e Análises de Sementes, no ano de 2018. O delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado com quatroepetições. Os tratamentos consistiram em diferentes temperaturas (15, 20, 25, 30 e 35°C). As sementes de capim-amargoso foram submetidas a quebra de dormência com solução de ácido sulfúrico (30% por 20 minutos).

Logo após, estas sementes foram colocadas em caixa do tipo gerbox de 11 x 11 cm com papel germitest umedecido 2,5 vezes o seu peso, totalizando 50 sementes por caixa. Essas caixas foram acondicionadas em B.O.D. em regime de fotoperíodo de 12 horas. Foi avaliado a porcentagem de germinação aos sete e 14 dias após a semeadura.

Os dados foram submetidos à análise de variância a 5% de probabilidade e ajustados em modelo de regressão. A germinação do capim-amargoso ocorreu em todas as temperaturas testadas.

Entretanto, a porcentagem de germinação foi superior nas temperaturas de 25, 30 e 35°C. A germinação do capim-amargoso reduziu consideravelmente na temperatura de 15 e 20°C. Condições de maior temperatura favorecem a germinação das sementes de capim-amargoso.


Que tal atualizar seu conhecimento sobre o manejo de capim-amargoso em soja?


Informações dos autores

1Centro Universitário de Patos de Minas – UNIPAM/MG -Brasil;

Disponível em: Anais do XXXI Congresso Brasileiro da Ciência das Plantas Daninhas, Rio de Janeiro – RJ

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.