Avaliou-se a distribuição longitudinal de sementes de milho com diferentes formatos submetidas a diversas doses de grafite.

Autores:  Júlio Nielsen Braga1;Luan Soler Francischinelli1;Júlio César S. Pereira1;Paulo Roberto Arbex Silva1

Trabalho publicado nos Anais do evento e divulgado com a autorização e inserção de informações dos autores.

A produtividade final de culturas é influenciada por diversos fatores, sendo a uniformidade na distribuição longitudinal de sementes depositada ao solo no momento da semeadura um dos mais importantes, pois é nessa etapa que se define o potencial produtivo da lavoura, se feito de forma uniforme espera-se atingir altas produtividades.

As sementes de milho apresentam uma grande diversidade de formatos e tamanhos além do tratamento químico que as tornam mais ásperas aumentando o atrito, dificultando o escoamento e podendo apresentar um estande desuniforme com falhas e duplas, principalmente no sistema dosador mecânico no qual as sementes se encaixam no disco por gravidade. Para tentar minimizar esse problema é aplicado antes da semeadura o grafite agrícola.

Com o objetivo de avaliar a distribuição longitudinal de sementes de milho com diferentes formatos submetidas a diversas doses de grafite, este trabalho foi conduzido no laboratório de plantabilidade do Grupo de Plantio Direto na UNESP Campus de Botucatu com um simulador de bancada mecânico para semeadura.

Figura 1 – Sementes oblongas antes do tratamento com grafite.

Figura 2 – Sementes redondas já tratadas e com grafite sendo testadas no mecanismo dosador.

Foram estudados dois formatos diferentes das sementes (oblonga e redonda) e diferentes doses de grafite. Para as sementes oblongas foram utilizadas as seguintes doses de grafite Xg/1kg de semente de milho: [1: Testemunha 0g; 2: 1g; 3: 2g; 4: 3g; 5: 4g; 6: 6g; 7: 8g; 8: 10g]. Para as sementes redondas foram utilizadas as seguintes doses de grafite Xg/1kg de semente de milho [1: Testemunha 0g; 2: 2g; 3: 4g; 4: 5g; 5: 6g; 6: 8g; 7: 10g; 8: 12g].

Durante o experimento foi avaliado o espaçamento médio, o desvio padrão, o coeficiente de variação além dos índices de espaçamento aceitáveis falhas e duplas, com base no total de 250 espaçamentos entre sementes avaliados por tratamento. Os resultados são apresentados nas Tabelas 1 e 2.

Tabela 1 – Valores médios para os espaçamentos entre plantas (cm), Desvio Padrão (DP) e Coeficiente de Variação (CV), para as sementes oblongas de milho submetidas a diferentes doses de grafite.

Tabela 2 – Valores médios para os espaçamentos entre plantas (cm), Desvio Padrão (DP) e Coeficiente de Variação (CV), para as sementes redondas de milho submetidas a diferentes doses de grafite.

Conclui-se que o grafite agrícola favorece o escoamento das sementes, porém nas doses adequadas para cada tipo e formato de semente, o melhor percentual de espaçamentos aceitáveis para as sementes oblongas foi de 6g kg-1 e para as sementes redondas foi de 8g kg-1. Doses muito baixas não aumentam o índice de espaçamentos aceitáveis e doses muito altas são prejudiciais para uma distribuição uniforme das sementes.

Informações dos autores:  

1FCA Unesp de Botucatu.

Disponível em: Anais do XXXII Congresso Nacional de Milho e Sorgo 2018. Lavras, MG.

1 COMMENT

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.