Os drones entraram no mercado internacional de geotecnologias de forma tímida e rapidamente ganharam destaque, não só por apresentar novidades para o setor, mas sim por ser a geotecnologia que mais assiduamente passou a ser difundida e utilizada entre usuários dos mais diversos setores da economia. Entre esses setores está a agricultura, que estima-se representar 25% das receitas globais da indústria dos drones (MundoGeo).

O primeiro registro do uso de drones na agricultura foi no Japão (década de 80), quando a Yamaha desenvolveu o RMAX com finalidade manejos com a aplicação de defensivos agrícolas em áreas pequenas, o que é característico nesse país. O modelo denominado RMAX, é capaz de carregar até 30 kg, voar por cerca de 90 minutos com um alcance de 10 km. Contudo, esse conceito foi abondando por muito tempo no Brasil, pois acredita-se que o fato das áreas de cultivo no Brasil serem de grandes dimensões, essa técnica não seria aplicável. Atualmente, já se conhece o potencial da pulverização com drones em diversas práticas, como aplicação de herbicidas, fungicidas e inseticidas, onde empresas estão dedicando-se para aprimorar cada vez mais essa técnica, de modo que seja útil no campo.

A aplicação de defensivos agrícolas com drones pode ser o “extintor de incêndios” do agricultor no campo. Isso porque, os drones podem evitar o agravamento de incidências de plantas daninhas, doenças e insetos nas culturas de interesse agrícola de forma  precisa e eficaz, evitando a aplicação em área total. Além disso, essa técnica pode ser utiliza complementarmente com o Manejo Integrado de Pragas (MIP) e Manejo Integrado de Doenças (MID). Operações como essas, podem representar até 80 % de economia com agroquímicos e além disso evitar eventuais contaminações ambientais.Estudos ainda devem ser realizados juntamente com os fabricantes, empresas prestadoras de serviços e pesquisadores da área agronômica, buscando ajustar alguns parâmetros técnicos como tamanho de gota, velocidade de aplicação, tipo de bicos, altura de aplicação entre outros, para possibilitar maior segurança no momento da aplicação. Portanto, a aplicação de defensivos agrícolas com drones é uma realidade que já está ao alcance do produtor rural, para qualquer tamanho de área e em diferentes culturas, sendo que o uso de drones para esta finalidade, tende a crescer paralelamente ao aumento da tecnologia e a competitividade do setor agrícola.

Representação da aplicação dos drones na agricultura de acordo com as diferentes ferramentas da Agricultura de Precisão.

Fonte: Junior Mello Damian

Elaboração: Junior Mello Damian, pesquisador e estudante de doutorado do Programa de Solos e Nutrição de Plantas, Esalq/USP.


SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.