O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficiência de inseticidas químicos
no controle de adultos e ninfas de B. tabaci em plantas de soja sob condições de
campo, a fim de se estabelecer a melhor opção de controle de mosca-branca na
cultura da soja.

Autores: Daniela Moro¹²; Julia G. Bevilaqua¹; Leornardo S. Patias¹; Henrique Pozebon¹²;
Rafael P. Marques¹; Roberta Rebesquini¹; Jonas A. Arnemann¹

Introdução

A soja (Glycine max) é cultivada em 124,6 milhões de hectares e tem uma produção global de 336,699 milhões de toneladas. O Brasil se destaca como um dos maiores produtores mundiais, responsável por 28% da área cultivada e 34,7% da produção mundial (EMBRAPA 2018). A crescente na demanda mundial por produção de alimentos e fibras vem acompanhada também por pragas e doenças, que assolam os cultivos agrícolas e comprometem seu rendimento final.

Dentre os insetos-praga que atacam a cultura da soja da semeadura à colheita, a mosca-branca Bemisia tabaci (Gennadius, 1889) (Hemiptera: Aleyrodidae) é uma praga que vem se destacando. A mosca-branca tem alta capacidade adaptativa às condições climáticas brasileiras, ocasiona uma infinidade de danos diretos (sucção de seiva) e indiretos (viroses e honeydew) e é de difícil controle, este último sendo majoritariamente empregado com o uso de moléculas inseticidas sintéticas.

 O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficiência de inseticidas químicos no controle de adultos e ninfas de B. tabaci em plantas de soja sob condições de campo, a fim de se estabelecer a melhor opção de controle de mosca-branca na cultura da soja.

Material e Métodos

Os experimentos foram conduzidos na safra de 2017/18 no município de Santa Cruz do Sul-RS, em dois locais diferentes. A aplicação de inseticidas no experimento ocorreu a partir do estádio de crescimento R1 (início da fase reprodutiva). A infestação ocorreu de forma natural. O delineamento utilizado foi blocos ao acaso, com 4 repetições em parcelas de 24 m², e a aplicação dos tratamentos foi realizada com pulverizador costal pressurizado a CO2, com pontas de pulverização 110.02, calibrado para um volume de aplicação de 150 L ha-1. Ambos experimentos receberam duas aplicações com intervalo de 7 dias entre elas. As avaliações foram feitas aos 0, 5 e 10 dias após a primeira aplicação, e aos 0, 5, 10, 15, 20 dias após a segunda aplicação. Para a avaliação de adultos, em cada parcela foram selecionados de forma aleatória 10 folíolos centrais do terço médio e superior das plantas de soja, onde estes eram encontrados na face abaxial e assim contabilizados. Para a avaliação de ninfas, em cada parcela foram coletados 10 folíolos do terço médio e inferior e armazenados em sacos de papel para posterior contagem em lupa eletrônica.

Tabela 1. Nome comercial, ingrediente ativo e dose por hectare dos inseticidas utilizados.

Resultados e Discussão

Para adultos de B. tabaci o tratamento T4 (Cyantraniliprole + lambdacyalotrina) apresentou a maior mortalidade e eficiência de controle (65,5%), seguido de T6 (Imidacloprido + lambda-cyalotrina) com eficiência de 55,2%, e T5 (Pimetrozina) e T3 (Cyantraniliprole) com eficiência de controle de 50,9% e 46,9%, respectivamente. Os resultados estão expressos de forma resumida na Figura 1.

Figura 1. Média da eficiência de controle de adultos e ninfas de Bemisia tabaci em resposta aos tratamentos aplicados em plantas de soja em condições de campo.

Para ninfas de mosca-branca o tratamento mais eficaz foi T1 (Acetamiprido + Piriproxyfen), com 67,1% de eficiência de controle, seguido por T4 (Cyantraniliprole + lambda-cyalotrina) com 56,3%, e T7 (Acetamiprido + bifentrina) e T2 (Spiromesifeno) com 55,6% e 42% de eficiência de controle, respectivamente.

Conclusão

O tratamento cyantraniliprole + lambda-cialotrina foi o mais eficiente no controle de adultos de B. tabaci, com 65% de eficiência média de controle ao longo das avaliações. Para ninfas de B. tabaci o tratamento que se mostrou mais eficiente foi acetamiprido + piriproxifen, atingindo 67% de eficiência média de controle ao longo das avaliações.


Confira nossa galeria de cursos TOTALMENTE ONLINE! Agregue conhecimento, faça já!


Referências

EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária). (2018). Soja em números (Safra 2017/2018).Retrieved from https://www.embrapa.br/soja/cultivos/soja1/dados economicos.

Informações dos autores

¹Integrante do Grupo de Pesquisa Molecular Insect Lab da UFSM;

²Bolsista Capes.

Disponível em: Anais do II Congresso Online para Aumento de Produtividade do Milho e Soja (COMSOJA), Santa Maria, 2019.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.