O meio de semana é marcado pelos preços positivos dos futuros contratos da soja da Bolsa de Chicago o que se deu pela queda do dólar, no Brasil os preços se mantiveram mistos com poucos negócios. Seguindo o caminho oposto do mercado internacional, as cotações tiveram poucas mudanças e registraram lentidão nas comercializações.

As exportações de commodities tiveram um aumento de 7,4% comparado a 2018, segundo levantamento da Secretaria de Comércio e Relações Internacionais os principais setores que exportaram em 2019 foram, os produtos florestais 21,9%, soja 20,1%, carnes 15,5%, cereais e farinhas 13% e o café 6,8%. Somando esses produtos, eles foram responsáveis por 77,3% do valor total das exportações. Só no setor de produtos florestais a soma foi de US$ 1,45 bilhão um recorde para janeiro, assumindo assim pela primeira vez a principal posição de exportador do agronegócio.

A expectativa para essa semana são as medidas compensatórias para a retirada da tarifa antidumping da importação de leite em pó até quinta-feira. Deputados da FPA, Frente Parlamentar Agropecuária, declararam que  a taxa da União Europeia será de 42,8%. O novo valor será baseado na soma da Tarifa Externa Comum de 28% mais 14,8% da taxa contra o dumping. Para Nova Zelândia será mantido o teto de 28%.

As temperaturas no Rio Grande do Sul permanecem amenas, com possibilidade de chuva de forma isolada no extremo norte e leste, na maior parte do estado o tempo deve se manter firme com sol entre nuvens. No centro-oeste segue chovendo, principalmente no Mato Grosso do Sul que deve concentrar os maiores volumes de chuva, o norte de Goiás deve ter tempo firme devido a massa de ar seco.

Redação: Daniela Vargas – Equipe Mais Soja

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.