Extratos vegetais hidroalcoólicos sobre Euschistus heros (Fabricius, 1789), (Hemiptera: Pentatomidae)

0
510

O objetivo desse trabalho foi avaliar o potencial inseticida de extratos vegetais hidroalcoólicos de Eugenia uniflora L., Annona crassiflora Mart. e Pinus taeda L. sobre ovos e ninfas de E. heros.

Autores:  Darlin H. R. de Oliveira1; Matheus L. Padilha1; Everton R. Lozano2; Michele Potrich2; Luiz G. N. de Souza1; Lucas Battisti3

Trabalho disponível nos Anais do Evento e publicado com o consentimento dos autores.
Trabalho disponível nos Anais do Evento e publicado com o consentimento dos autores.

A cultura da soja orgânica vem se destacando nos últimos anos no que se refere a produtividade. Nesta cultura, o controle de doenças e insetos-praga é realizado utilizando-se agentes biológicos e produtos alternativos. Assim como no cultivo convencional, no orgânico, uma das principais pragas é o percevejo-marrom-da-soja, E. heros, devido aos danos que causa.

Extratos vegetais são alternativas de controle que podem ter ação no ciclo biológico do inseto, apresentando efeitos agudos e crônicos além de serem alternativas de controle economicamente viáveis aos produtores. Dessa forma, o objetivo desse trabalho foi avaliar o potencial inseticida de extratos vegetais hidroalcoólicos de Eugenia uniflora L., Annona crassiflora Mart. e Pinus taeda L. sobre ovos e ninfas de E. heros.

Para tal, foram realizados dois experimentos: 1) com ovos (E1) e 2) com ninfas de terceiro ínstar (E2). Os ovos e insetos utilizados foram obtidos da criação mantida em laboratório. Em ambos os ensaios, os extratos (tratamentos) foram utilizados na concentração de 10%, pulverizando-se 300 μL de cada extrato sobre os ovos e ninfas de terceiro ínstar. Para cada tratamento foram utilizadas seis placas de Petri (repetições), com 20 ovos de 24 horas de idade e 20 ninfas, respectivamente para (E1) e (E2). As testemunhas constaram de água destilada esterilizada e Álcool 80%.

Os tratamentos foram acondicionados em câmara climatizada à temperatura de 27±2oC, umidade de 70±5% e fotofase de 14 horas. As avaliações foram realizadas diariamente, durante 10 dias, quantificando-se o número de ninfas eclodidas (E1) e o número de ninfas mortas (E2).

Verificou-se que os extratos vegetais hidroalcoólicos de E. uniflora, A. crassiflora e P. taeda não apresentaram efeito ovicida e inseticida sobre E. heros, em condições de laboratório.

Portanto os referidos extratos não possuem potencial inseticida para o controle de E. heros.

Palavras-chave: Controle alternativo, inseticidas vegetais, soja orgânica.

Apoio: Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) – UTFPR.

Informações dos autores:

1Acadêmicos do curso de Agronomia, Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR;

2Prof. Dr. Coordenação de Ciências Biológicas, Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR;

3Programa de Pós-graduação em Agroecossistemas (PPGSIS) UTFP Campus Dois Vizinhos.

 Disponível em: Anais do XXVI Congresso Brasileiro de Entomologia / IX Congresso Latino-Americano de Entomologia . Maceió, Alagoas, 2016.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.