No texto de hoje vamos compreender o mecanismo de ação dos herbicidas Inibidores da Biossíntese da Celulose.

Já vimos sobre os Inibidores da ACCase, Glutamina sintetase, FSI, FSII, CarotenóidesCrescimento Inicial, PROTOX, ALS, EPSPs, Mimetizadores de Auxinas e Mecanismo de ação desconhecido.

Este grupo é representado pelo herbicida indaziflam. O indaziflam faz parte do grupo químico alquilazina.

Lembrando que este mecanismo de ação também é representado pelo herbicida quinclorac quando aplicado em monocotiledôneas (plantas de folhas estreitas). Quando aplicado sobre folhas largas, o quinclorac tem como mecanismo de ação os Mimetizadores de Auxinas.

Observem pela figura abaixo que existem outros produtos no mundo com este mecanismo de ação.

Vamos ver agora as principais características dos herbicidas Inibidores da Biossíntese da Celulose. 

Principais características

  • utilizado em pré-emergência nas culturas de cana-de-açúcar, café e citros;
  • principais espécies suscetíveis: picão-preto, capim-braquiária, capim-marmelada, capim-carrapicho, trapoeraba, buva, capim-colchão, capim-amargoso, capim-pé-de-galinha e guanxuma;
  • adsorção: Koc maior que 1.000;
  • atua nas regiões meristemáticas e ápices radiculares;
  • pKa: 3,50;
  • Kow: 2,8;
  • meia-vida: maior que 150 dias;
  • amplo espectro de controle.

Como ocorre o controle das plantas daninhas?

O mecanismo de ação ainda não é totalmente compreendido;

Mas sabe-se que, os herbicidas Inibidores da Biossíntese da Celulose causam a perda da integridade da parede celular, ocorrendo a inibição do crescimento e consequentemente a morte das plantas.

O indaziflam também inibe a deposição de cristais na parede celular afetando sua formação, divisão e o alongamento das células. 

Assim, folhas já desenvolvidas serão pouco ou dificilmente afetadas pela ação deste herbicida.

Casos de resistência no Brasil e no mundo!

No mundo estão registrados apenas 5 casos de resistência a este mecanismo de ação, sendo um deles no Brasil.

Todos os casos são relatados como resistência múltipla, ou seja, a dois ou mais mecanismos de ação.

O herbicida deste mecanismo de ação com registros de plantas daninhas resistentes é o quinclorac, nenhum caso é registrado para o indaziflam.

As espécies de plantas daninhas nas quais foram relatados casos de resistência a este mecanismo de ação no mundo são:

    • Echinochloa colona;
  • Echinochloa crus-galli var. crus-galli;
  • Echinochloa erecta.
Espécie Ano Cultura

Local

Herbicida

Foto
Echinochloa erecta 2004 arroz Itália Resistência múltipla: propanil (FSII) e quinclorac (Biossíntese da Celulose – mecanismo de ação em monocotiledôneas – MOA)
Echinochloa crus-galli var. crus-galli 2011 arroz Mississippi (EUA) Resistência múltipla: fenoxaprop (ACCase), imazamox, imazethapyr (ALS), propanil   (FSII) e quinclorac (Biossíntese da Celulose – mecanismo de ação em monocotiledôneas – MOA)
Echinochloa colona 2011 arroz Arkansas (EUA) Resistência múltipla: imazethapyr (ALS), propanil (FSII) e quinclorac (Biossíntese da Celulose – mecanismo de ação em monocotiledôneas – MOA)
Echinochloa crus-galli var. crus-galli 2015 arroz Tubarão, Santa Catarina Resistência múltipla: cyhalofop (ACCase), penoxsulam (ALS) e quinclorac (Biossíntese da Celulose – mecanismo de ação em monocotiledôneas – MOA)
Echinochloa colona 2016 arroz Colombia Resistência múltipla: bispyribac (ALS), cyhalofop (ACCase) e quinclorac (Biossíntese da Celulose – mecanismo de ação em monocotiledôneas – MOA)

Fonte: weed science.

Vamos ver agora as culturas em que são registrados este mecanismo de ação.

A tabela abaixo foi feita com base no Guia de Herbicidas (2018), nela constam as culturas em que podem ser utilizados os herbicidas deste grupo.

Consulte o guia e a bula de cada produto para verificar o modo de aplicação para que você não tenha problemas com a seletividade dos herbicidas.

Além do indaziflam, também coloquei o quinclorac, devido ao seu mecanismo de ação sobre gramíneas ser a Biossíntese da Celulose.

Herbicida Culturas
indaziflam cana-de-açúcar, café e citros
quinclorac arroz irrigado

Conclusão

No texto de hoje entendemos mais sobre o mecanismo de ação do herbicidas Inibidores da Biossíntese da Celulose.

Vimos as principais características deste grupo, os casos de resistência, como atuam dentro das plantas e em quais culturas podem ser utilizados.

Também vimos que ainda há poucas informações sobre este mecanismo de ação.

Gostou do texto? Tem mais dicas sobre os herbicidas Inibidores da ACCase? Adoraria ver o seu comentário abaixo!

Sobre a Autora: Ana Ligia Girardeli é Engenheira Agrônoma formada na UFSCar. Mestra em Agricultura e Ambiente (UFSCar) e Doutora em Fitotecnia (USP/ESALQ). Atualmente está cursando MBA em Agronegócios.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.