O Imea atualizou o custo de produção para a safra de soja 19/20 no estado de Mato Grosso. De acordo com os dados referentes a abr/19, o custo variável (CV) ficou em R$ 3.150,27/ha e o custo operacional (CO) fechou o mês a R$ 3.497,33/ha, um aumento de 0,78% e 0,73%, respectivamente, ante o mês anterior.

A desvalorização da soja em abril, em conjunto com a diminuição no frete dos fertilizantes, fez com que a variação do custo não fosse maior. Dentre os componentes que tiveram maior aumento, destacaram-se os defensivos, que valorizaram 1,79% no mês, puxados principalmente pelos fungicidas.

Como estes componentes são cotados em dólar, a valorização da moeda norte-americana influenciou nas cotações dos defensivos. Por isso, neste cenário de volatilidade cambial, é pertinente o produtor se atentar para as oportunidade de negócio que possam surgir para as compras dos insumos.

Confira os principais destaques do boletim: 

• O indicador Imea-MT fechou a última semana com uma cotação média de R$ 63,85/sc, elevação de 3,05% quando comparado com o fechamento da semana anterior, devido à alta do dólar e do prêmio.

• O contrato da CME corrente finalizou a semana com baixa de 0,10%, com cotação média de US$ 8,27/bu, pautado nos elevados estoques americanos do grão.



• O aumento da demanda pela soja brasileira segue elevando o prêmio corrente para o porto de Santos, que, na última semana semana, fechou em US$ 1,12/bu, com alta semanal de 26,29%.

• Na semana passada, a moeda norte americana atingiu uma cotação média de R$ 4,05/US$. Alta de 0,80% quando comparada com a semana anterior, devido ao acirramento da tensão comercial entre EUA e China e incertezas na tramitação da reforma da previdência brasileira.

FERTILIZANTES EM ALTA:

Uma das formas de avaliar os gastos com fertilizantes é analisando a relação de troca (insumo/produto). Apesar da recente queda desta relação no início de 2019, ao compararmos com o mesmo período do ano passado, percebemos que no atual momento o produtor tem que usar mais sacas de soja para ter os fertilizantes. No caso do Super Simples — um dos mais utilizados — o produtor tem que investir 29,58% mais grãos do que em abr/18.

Este aumento na relação de troca pode ser fundamentado na queda das cotações de soja na bolsa CME-Chicago e também na valorização dos fertilizantes. Isso pode explicar o atraso na comercialização deste insumo, que atingiu 50,17% em abr/19 e está cerca de 21,61 p.p. atrás ante abr/18.

Diante disso, é importante o produtor ficar atento à logística de entrega dos fertilizantes, tendo em vista que postergar demais as compras deste insumo poderá fazer com que o produto chegue atrasado às lavouras.

Fonte: IMEA

Texto originalmente publicado em:
Imea
Autor: IMEA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.