O cultivo de forrageiras antecedendo culturas como milho tem se popularizado nas lavouras brasileiras, tanto em sistemas de integração lavoura pecuária, quanto em sistemas que buscam manutenção da cobertura do solo e incremento de palhada. Para que o cultivo de ambas culturas ocorra de forma harmônica algumas questões de manejo devem ser levadas em consideração. 

E, embora já se conheçam os benefícios do incremento da palhada fornecida pela forrageira, algumas lacunas ainda demandam de ajustes, à citar como exemplo a operação de dessecação da forrageira, esta que carece de esclarecimentos quanto a sua implicação na produtividade do milho. 

Algumas espécies para formação de cobertura: capim braquiária (Urochloa decumbens), capim ruziziensis (Urochloa  ruziziensis) , Capins do gênero Panicum spp., sorgo – (Sorghum bicolor) entre outros.



Pensando nisso, pesquisadores da UNESP em sua pesquisa buscaram determinar o melhor período para semear o milho ‘Yield Gard DKB 390 YC’ após a dessecação da cobertura (capim ruziziensis ). Você pode conferir o trabalho completo acessando aqui.


Leia mais: Soja em sucessão ao sorgo granífero

Neste estudo, a dessecação foi realizada aos 0, 5, 10, 15, 20 e 25 dias antes do plantio do milho, com  1,440 kg ha¹ do herbicida glyphosate.

Os resultados apresentam como melhor período de semeadura do milho, 25 dias após a dessecação de U. ruziziensis com o herbicida glyphosate, esta afirmação dos autores foi embasada devido ao fato de que a cultura (milho) apresentou um bom desempenho, tanto em crescimento quanto produtividade. Os mesmo não recomendam a operação de aplicação do herbicida e semeadura imediata do milho. A produtividade obtida pode ser observada na Figura 1.

Figura 1. Produtividade do milho (t.ha¹) aos 150 dias após a semeadura em função dos períodos de dessecação do capim ruziziensis. Fonte:  SILVA et al.2018.

Além da época descrita acima, os autores indicam que a dose utilizada do herbicida foi suficiente para controle da espécie de brachiaria, controlando mais de 95% a forrageira.


Leia Também: Os benefícios da brachiária no sistema de produção


Realizada no momento certo, a dessecação antes do plantio facilita o corte da palhada pela plantadeira; disponibiliza palhada seca no período de germinação da cultura (ajudando na proteção da umidade do solo), evita que componentes da cultura do plantio anterior possam interferir na atual e facilita o controle de plantas daninhas, mantendo a produtividade de cultura.

Quer acessar o trabalho completo, publicado na Revista Brasileira de Milho e Sorgo, dos autores ANA P. SILVA, MARILUCE P. NEPOMUCENO, ANDREISA F. FRAGA e PEDRO L DA C. A. ALVES, e conferir a influência da dessecação em outros parâmetros da planta de milho clique aqui.

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.