Trabalho de autoria: Piccinini, S.L.O. Machado, T.N. Martin, N.D. Kruse, A. Balbinot, A. Guareschi.

O controle de plantas daninhas utilizando herbicidas com o mesmo mecanismo de ação pode favorecer o aparecimento de biótipos resistentes ou plantas tolerantes. Exemplo disso é a ocorrência de cordas-de-viola (Ipomoea sp.) em lavouras de soja na região Sul do Brasil. Nesse sentido, objetivou-se quantificar os prejuízos decorrentes da competição de duas espécies de corda-de-viola em convivência com a soja.



O estudo foi realizado em campo, na safra agrícola 2013/2014. O delineamento experimental foi de blocos ao acaso com quatro repetições, com os tratamentos sendo distribuídos em arranjo fatorial (2x2x5), em que se avaliou o efeito da competição sobre dois cultivares de soja (TEC6029 e TEC7849), das espécies de corda-de-viola (I. triloba e I. purpurea), em diferentes densidades de infestação (0, 4, 8, 16 e 32 plantas m²).

A convivência da soja com diferentes densidades de corda-de-viola afetou os componentes de produtividade. As primeiras oito plantas de corda-de-viola mostraram uma competição mais intensa, tendo reduzido a produtividade em 45% e 27% para os cultivares TEC6029 e TEC7849, respectivamente.

Elaboração:

Prof. Thomas N. Martin – UFSM

Prof. Dr. Thomas N. Martin – martin.ufsm@gmail.com, (55) 981 113 833

Acesse a página do Grupo de Pesquisa Coxilha UFSM no Facebook : clicando aqui!

O artigo completo foi publicado em: Planta Daninha; v. 36, p. 1-8, 2018. Veja-o acessando aqui.

 

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.