Os fitonematóides são pragas de importância econômica na área agrícola causando perdas significativas nas mais diversas culturas. O gênero Pratylenchus, especialmente P. branchyurus ou nematoide das lesões, são migradores e realizam o parasitismo das raízes das plantas hospedeiras, necrosando as células radiculares e tornando a planta mais suscetível a outros patógenos de solo.

Esse nematoide têm sido motivo de preocupação entre os produtores devido às perdas significativas de produtividade, disseminação e pela dificuldade de controle. Pesquisas recentes apontam que a densidade populacional e os danos de P. brachyurus em soja podem ser reduzidos a partir do correto manejo da acidez do solo, com elevação do pH, aumento dos teores de Ca e Mg e a neutralização do Al tóxico (FRANCHINI et al., 2011; FRANCHINI et al., 2014).


Veja também: Reação de cultivares de soja à Pratylenchus brachyurus


 A nutrição adequada com potássio também tem sido frequentemente associada ao aumento da tolerância da soja a estresses bióticos (OLIVEIRA JUNIOR et al., 2010), de forma que a correção dos teores deste nutriente no solo pode diminuir os danos de P. brachyurus em soja.

O Mato Grosso é o estado mais afetado com 96% das suas áreas com a presença do nematoide das lesões. As principais causas desse aumento da importância econômica desse nematoide são as seguintes:

  • Cultivo contínuo de uma mesma espécie vegetal, principalmente monoculturas de soja, algodão ou feijão;
  • Rotação ou sucessão com culturas que são boas hospedeiras do nematoide (maioria dos genótipos de soja, feijão, algodão, milho, sorgo e de diversas gramíneas forrageiras, além de muitos genótipos de girassol e milheto, etc.);
  • Sistema de “plantio direto” ou cultivo mínimo, mantendo o solo com umidade mais elevada e sem exposição ao sol, condições essas adequadas para os nematoides;
  • Uso mais frequente de solos com textura arenosa ou média;
  • Uso de irrigação, que viabiliza até três safras anuais nas áreas com este recurso;
  • Desbalanço nutricional;
  • Ocorrência simultânea de outros fitonematóides e de outros patógenos como Fusarium oxysporum e Rhizoctonia solani, que se aproveitam dos danos às raízes, aumentando a severidade de podridões ou de murchas vasculares.


A sucessão milho-soja é considerada a pior no sentido de favorecer o aumento populacional do nematoide, pois este dispõe oito a nove meses em cada ano com culturas favoráveis à sua reprodução.

Atualmente a principal técnica adotada como solução é a rotação/sucessão da soja com adubos verdes como a Crotalária spectabilis e Crotalária breviflora, que além de serem plantas não hospedeiras contribuem para a manutenção de nutrientes no solo.

Pensando nisso, em trabalho apresentado e publicado nos anais da 37ª Reunião de Pesquisa de Soja, os pesquisadores Bernardes, R.C.; Borges, A.O.; Lima, C.H.M.; Monteiro, E.S.; Silva,W.G. e Ribeiro, L.M. realizaram um trabalho intitulado “ Manejo do nematoide Pratylenchus brachyurus na cultura da soja mediante uso de ativos químicos e biológicos”, com o objetivo de avaliar a eficácia de ativos químicos e biológico no controle do nematoide P. brachyurus na cultura da soja, safra 2018/2019. Para acessar o trabalho completo clique aqui.


Mais informações sobre o manejo de doenças em soja? Confira…


Os autores concluíram com o trabalho os tratamentos nematicidas utilizados apresentaram controle do nematoide das lesões radiculares P. brachyurus na cultura da soja. Veja os resultados dos autores abaixo.

Tabela 1. Massa fresca de raízes aos 40 e 65 dias após a emergência (DAE) em função do controle do nematoide das lesões radiculares na cultura da soja.

Fonte: Bernardes, et a., (2019).

Tabela 2. Número de nematoides obtidos por grama de raiz e em 100 cm3 de solo aos 40 e 65 dias após a emergência (DAE) após aplicação de produtos para o controle do nematoide das lesões radiculares na cultura da soja.

Fonte: Bernardes, et a., (2019).

Figura 1. Eficácia relativa (% controle) em função do número de nematoides por grama de raiz aos 40 e 65 dias após a emergência (DAE) após aplicação de produtos para o controle do nematoide das lesões radiculares na cultura da soja.

Fonte: Bernardes, et a., (2019).

Tabela 3. Peso de mil grãos (g), produtividade (kg ha-1 e sacas ha-1) e incremento produtivo (sacas ha-1) após aplicação de produtos no tratamento de sementes e sulco de plantio para o controle do nematoide das lesões radiculares na cultura da soja.

Fonte: Bernardes, et a., (2019).

Para ter acesso ao conteúdo completo clique aqui.


Leia também: Desenvolvimento da soja sob diferentes populações de nematoides Aphelenchoides besseyi e Pratylenchus brachyurus


Elaboração: Engenheira Agrônoma Andréia Procedi – Equipe Mais Soja.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.