O Mapa, por meio da Secretaria de Defesa Agropecuária, anunciou na última semana que vai racionalizar as análises da sua rede oficial de laboratórios: os Lanagros. A meta é que, nos próximos seis meses, sejam implementadas ações que estruturem as unidades para o atendimento dos pedidos do Ministério pelos próximos 20 anos.

Para atingir este objetivo, foi lançado o projeto “Estudo de demandas por análises laboratoriais para os programas e controles oficiais do Mapa”. O trabalho será conduzido pela Coordenação Geral de Laboratórios Agropecuários (CGAL) do ministério.

A estruturação dos Lanagros faz parte da estratégia de fortalecimento da defesa agropecuária brasileira, que tem o desafio de estar consolidada em dez anos.


Quer informação de qualidade e de fácil acesso? Você encontra aqui!


Segundo o coordenador geral da CGAL, Rodrigo Nazareno, “o projeto atende aos objetivos da defesa agropecuária de assegurar a sanidade vegetal e animal, a idoneidade dos insumos e dos serviços utilizados na agropecuária, além da identidade e segurança higiênico-sanitária dos produtos agropecuários finais destinados aos consumidores”, diz ele.

A consultoria Phorum vai assessorar o projeto junto com a Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão (FEPE), da Escola de Veterinária da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com a participação do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O estudo fará um levantamento das análises laboratoriais feitas pelas diversas áreas do ministério.

Os seis Lanagros e suas unidades laboratoriais avançadas estão localizados em todas as regiões do Brasil. Entre suas atribuições estão a de realizar análises oficiais, auditorias em laboratórios credenciados, atuar como referência nacional em assuntos laboratoriais entre outros.

Esses laboratórios desempenham papel fundamental nas ações de monitoramento, controle e fiscalização de alimentos, bebidas e insumos produzidos e comercializados no Brasil. Por meio de suas unidades espalhadas pelo País, fornecem informações valiosas para os serviços de inspeção e fiscalização, não só do ponto de vista analítico, mas também em cooperações, estudos e projetos de pesquisa voltados para a segurança do alimento e à detecção de fraudes econômicas.

Segurança alimentar

A visão estratégica de longo prazo se faz urgente no setor. De acordo com estimativas globais, a população mundial saltará de 6,8 bilhões (dado de 2010) para 9,3 bilhões em 2050. Este aumento demográfico somado ao aumento da renda da população, pressionará a demanda por alimentos em várias partes do planeta. O Brasil terá papel fundamental neste cenário, garantindo a segurança alimentar.

Fonte: Equipe SNA/Rio

Texto originalmente publicado em:
SNA
Autor: SNA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.