O mercado brasileiro de milho manteve preços pouco alterados, para cima ou para baixo, nesta semana. As cotações seguem sustentadas por uma oferta controlada, e com apreensões ainda com o clima para a safra de verão de 2021.

Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, as negociações no mercado brasileiro de milho fluíram em ritmo cadenciado no decorrer da semana. “Alguns consumidores indicam que estão posicionados até a virada de ano. Os produtores por sua vez mantêm a estratégia de retenção ainda observando atentamente o risco climático, com chuvas irregulares em relevantes regiões produtoras”, comenta. A movimentação cambial ainda é um fator relevante no restante do ano, destaca.

No balanço da semana entre as quintas-feiras (12 e 19 de novembro), o preço do milho na base de compra no Porto de Santos recuou de R$ 75,00 para R$ 73,00 a saca.

Já no mercado disponível ao produtor, o preço do milho em Campinas/CIF recuou na base de venda no comparativo entre a quinta-feira (12 de novembro) e a quinta-feira (19 de novembro) de R$ 83,00 a saca para R$ 82,50, baixa de 0,6%. Na região Mogiana paulista, o cereal permaneceu estável no comparativo em R$ 82,00 a saca.

Em Cascavel, no Paraná, no comparativo semanal, o preço subiu de R$ 79,00 para R$ 80,00 a saca. Em Rondonópolis, Mato Grosso, a cotação seguiu estável em R$ 75,00 a saca na base de venda. Já em Erechim, Rio Grande do Sul, houve avanço de R$ 89,00 para R$ 90,00, alta de 1,1%.

Em Uberlândia, Minas Gerais, as cotações do milho avançaram na semana de R$ 76,00 para R$ 77,00 a saca, subida de 1,3%. Em Rio Verde, Goiás, o mercado permaneceu estável na semana em R$ 74,00 a saca.

Fonte: Agência SAFRAS

Texto originalmente publicado em:
Safras e Mercados
Autor: Lessandro Carvalho - Agência SAFRAS

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.