O elevado patamar do dólar tem favorecido a competitividade do milho no mercado externo, cenário que tem elevado os valores do cereal nas regiões dos portos. Diante disso, desde o dia 19, a cotação do milho disponível na região do porto de Paranaguá está acima da observada no mercado disponível da praça de Campinas (SP), o que não era observado desde meados de agosto de 2019.

Esse contexto tem feito com que vendedores priorizem ofertas para exportação.

Assim, mesmo com a colheita da segunda safra avançando, os preços do milho seguem em alta na maior parte das regiões acompanhadas pelo Cepea. Compradores, por sua vez, adquirem volumes apenas para repor estoques, sem interesse em grandes lotes, à espera de preços menores, fundamentados na intensificação das atividades de campo e no consequente aumento da oferta.

O Indicador ESALQ/BM&FBovespa voltou a avançar – 2,1% em sete dias –, fechando a R$ 48,15/sc no dia 26.

Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

Texto originalmente publicado em:
Cepea
Autor: Cepea

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.