O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, esteve na Sede da Embrapa, em Brasília-DF, durante o encerramento da II Reunião de Gestores da Empresa em 2018, nesta quinta-feira (29). Em clima de despedida, fez um balanço do que significou o relacionamento que manteve com a Embrapa. Entre outros assuntos, também comentou sobre a sua preocupação com a imagem e com o reposicionamento do País, principalmente no cenário internacional, assim como sobre a proteção do conhecimento científico desenvolvido pela Embrapa, perante a competitividade do mercado internacional.

“Se o Brasil é hoje um dos principais produtores de alimentos do mundo, foi graças à contribuição da pesquisa desenvolvida na Embrapa”, disse o ministro, referindo-se diversas vezes ao apoio recebido pelo ex-presidente da Empresa, Maurício Lopes, como participante de várias ações em que a foi necessária a presença da pesquisa, especialmente para planejar a partir de perspectivas de futuro da agropecuária brasileira.

O ministro comentou ainda sobre as conversas que tem mantido com as esferas de governo sobre alternativas para garantir mais independência financeira para a Embrapa. “Conversamos com o governador eleito de São Paulo, João Dória, e com o presidente Michel Temer, e agora com a futura ministra da pasta, Tereza Cristina. “Propusemos que a área hoje ocupada pela Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), que pertence ao Ministério da Agricultura, seja transformada em uma cidade tecnológica e que o resultado financeiro de uso do local, como aluguel, seja revertido para a Embrapa, para que a Empresa disponha de algo diferente do orçamento comum”, disse ele, anunciando que a iniciativa já teve aprovação da nova chefe da pasta.

Fonte: Embrapa

Texto originalmente publicado em:
Embrapa
Autor: Embrapa

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.