Foi divulgado na última semana o penúltimo custo de produção de soja para a safra 18/19, referente ao mês de agosto.

Com esta atualização, o custo operacional ficou em R$ 3.384,71/ha e o custo total ficou em R$ 3.863,23/ha, representando um incremento de 0,64% e 0,84%, respectivamente, quando comparado ao do mês de julho/18.

Tais incrementos são pautados, principalmente, pelo avanço nos custos com macronutrientes e corretivos de solo, que aumentaram 1,21% e 1,86%, respectivamente, em relação ao mês de julho/18.

Os insumos continuam sendo impactados pelo tabelamento dos fretes, além da alta na taxa de câmbio, que por sua vez segue sendo influenciada pelo cenário político interno e pelo mercado internacional.

Neste momento, o produtor segue com a semeadura da próxima safra e os primeiros tratos culturais, restando menos de 5% dos insumos para serem comercializados.

Confira os principais destaques do boletim: 

• O preço da soja disponível em Mato Grosso encerrou com valorização de 0,32%, e preço médio semanal de R$ 74,14/sc, pautado, principalmente, na alta da oleaginosa em Chicago.

• A CME corrente finalizou a última semana com elevação de 1,73% e preço médio semanal de US$ 8,47/bu, devido, sobretudo, à demanda pela soja estadunidense.

• O preço paridade para mar/19 fechou em R$ 64,20/sc, ganho de 1,16%, reflexo, dentre outros fatores, a alta no contrato da CME para mar/19.

• Na última sexta-feira a semeadura de soja do Estado alcançou o total de 4,32% de toda área semeada, e um avanço semanal de 4,32p .p. No mesmo período durante a safra 17/18 encontrava-se em 1,17%.

OLHAR ATENTO:

Agora, com quase todos os custos fechados, a necessidade de mais atenções do produtor ao preço de paridade de exportação da próxima safra passa a ser ainda maior.

Atualmente, com as cotações do dólar, Chicago prêmio e frete, o preço paridade para mar/19 está sendo calculado próximo a R$ 63,26/sc, valor bem diferente do observado no mesmo período da safra passada, quando a paridade estava em R$ 55,75/sc.

Mas a fase agora é outra, o mercado rodeado de incertezas, principalmente em função do câmbio instável, puxado pelo período político brasileiro e pelos aumentos na taxa de juros norte-americana, além do desenrolar da disputa comercial entre os EUA e a China, pressiona o produtor a analisar cada vez mais os possíveis cenários futuros a serem enfrentados.

Assim, estar atento aos seus custos e definir suas estratégias para comercialização podem ser uma ótima saída para garantir as melhores oportunidades.

Fonte: IMEA

Texto originalmente publicado em:
Boletim semanal da soja
Autor: IMEA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.