Autor: Thomas Newton Martin – Professor da UFSM

O processo de semeadura é fundamental, pois trata-se do ato de depositar a semente no leito de um sulco que é especialmente aberto em uma profundidade para que as sementes possam tornarem-se plântulas e estabelecerem uma lavoura. Basicamente trata-se de um conjunto de processos que envolvem o sistema de corte da palha (a), facão sulcador (b), deposição da semente com tubo condutor (c), limitador de profundidade / roda compactadora (d) e estabelecimento da planta de soja.

Para a cultura da soja, as sementes devem ser depositadas entre 3 e 5 cm de profundidade. O ajuste da profundidade de semeadura, irá variar principalmente conforme o tipo de solo, a quantidade de palhada, a umidade, as reservas da semente e a previsão de precipitação na área. Contudo, deseja-se que haja uma homogeneidade da profundidade de semeadura para que a emergência seja uniforme.

Uma boa semeadura depende de vários fatores, dentre eles da semente, da semeadora, e do semeador. A umidade do solo e sua textura, bem como a qualidade da semente (germinação e vigor) interferem no processo de estabelecimento uniforme e rápido das plântulas. A velocidade de semeadura é um fator muito importante, pois vai alterar a distância entre as sementes no sulco de semeadura.

Sementes que ficarem muito próximas uma das outras, causarão um espaçamento chamado de duplo (distância menor 50% da distância considerada adequada). Os espaçamentos falhos, são aqueles em que a distância entre as plantas for superior a 1,5 X o espaçamento adequado. O espaçamento adequado é quando a distância entre plantas for maior que 50% da distância adequada e menor que 1,5 X a distância considerada adequada.

“A semeadura bem feita é umas das premissas de elevadas produtividades.”

Confira o E-book completo aqui! 


Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.