Parceria entre IMAmt e Embrapa Instrumentação visa potencializar o uso das ferramentas da Agricultura de Precisão

0
304

Em tempos de custos altos e margens de lucro apertadas, o planejamento estratégico das propriedades rurais torna-se essencial, o que inclui a utilização de ferramentas de Agricultura de Precisão (AP). Mas como tirar o melhor proveito possível dessas ferramentas, que geram informações detalhadas e georreferenciadas, visando um manejo mais eficiente das áreas de cultivo e o uso mais racional dos insumos agrícolas? Para dar esse suporte aos cotonicultores associados à Ampa (Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão), o Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt) está desenvolvendo uma parceria com a Embrapa Instrumentação (sediada em São Carlos – SP).

Uma equipe de pesquisadores dessa unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária sediada em São Carlos (SP) acaba de definir duas áreas para fazer levantamentos sobre o algodão em Mato Grosso, após visitas ao estado em que contaram com o apoio do IMAmt.  Essas áreas, com 52 e 200 ha, respectivamente, estão situadas na Fazenda Farroupilha, na Serra da Petrovina, no município de Pedra Preta (no Núcleo Regional Sul) e na Fazenda Três Lagoas, em Sapezal (no Núcleo Regional Noroeste).

Os pesquisadores Ricardo Inamasu e Luís Henrique Bassoi estão bastante animados com as perspectivas da parceria com o IMAmt. “É um ganha-ganha muito grande para todos”, define Inamasu, acrescentando que o tema Agricultura de Precisão envolve uma rede de pesquisas, que abrange várias culturas, 25 unidades da Embrapa e aproximadamente 150 pesquisadores.  Segundo Inamasu, o emprego no campo de máquinas com alto nível de tecnologias embarcadas, aliado ao fato de as áreas de cultivo não serem uniformes, exige um nível de gerenciamento agrícola mais preciso e sofisticado.

Com o surgimento do GPS (Global Positioning System – que permite a leitura das coordenadas geográficas), é possível identificar qual talhão produz mais ou menos, em função de diversas variáveis. Agora, por meio da parceria com o IMAmt, os pesquisadores da Embrapa Instrumentação querem aprofundar os estudos sobre o ambiente em Mato Grosso, com a finalidade de compreender por que algumas áreas produzem mais ou menos e, com isso, potencializar o uso das ferramentas da Agricultura de Precisão.

“O objetivo é melhorar a utilização dos recursos naturais da propriedade (água, solo, entre outros); aumentar o retorno econômico do produtor com a aplicação mais criteriosa dos insumos (adubos, defensivos, etc) e, consequentemente, reduzir os impactos no meio ambiente”, comenta Bassoi.

Na avaliação do engenheiro agrônomo Marcio de Souza, coordenador de Pesquisa e Difusão de Tecnologias do IMAmt, o fato de poder contar com informações exatas e mais precisas da AP conduz a uma nova forma de fazer o gerenciamento agrícola.  “A visualização das variabilidades espaciais e temporais, determinadas por fatores endafoclimáticos de cada módulo agrícola, deverá otimizar o manejo das áreas, com benefícios econômicos, sociais e ambientais para o produtor”, afirma. Souza explica que uso das ferramentas da AP vai permitir a identificação das heterogeneidades existentes em uma propriedade metro a metro, possibilitando que as intervenções sejam feitas “no momento adequado, no local correto e quantidade certa”.

Fonte: Assessoria de Imprensa AMPA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.