A semana inicia com expectativa positiva no mercado da soja, na última sexta os preços fecharam em alta, mesmo com valores durante a semana marcando um dos piores acumulados do ano. No mercado interno os preços se mantiveram estáveis, a queda no preço do dólar influenciou nas cotações. O que animou os produtores foi a grande procura pela oleaginosa, aumentando as propostas para a comercialização.

No levantamento feito pelo Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, em parceria com a CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil) apontou que o PIB do Agronegócio Brasileiro teve uma leve baixa de 0,02% no mês, num comparativo acumulado de janeiro a novembro do ano passado o índice de queda foi de 0,65%, o aumento dos custos de produção, principalmente nos preços dos fertilizantes e diesel, fez com que o segmento permanecesse em baixa em termos de renda.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento divulgou a estimativa dos valores brutos da produção no país, em 2019 calcula-se um total de 564,3 bilhões, o que está bem abaixo do valor registrado em 2018 que fechou em 570,3 bilhões. As lavouras que representam maior parte dessa estimativa tiveram queda de 3,1%, já a pecuária apresentou um aumento de 2,2%, no geral as lavouras representam 66% enquanto a pecuária tem 34% do valor bruto da produção.

A previsão do tempo para a semana apresenta sol para a maior parte da região Sul, somente a metade sul do Rio Grande do Sul deve haver pancadas isoladas de chuva. Já no Centro-Oeste do país a chuva deve ser em volumes maiores, com previsão de raios e trovoadas Goiás e Mato Grosso devem registrar os maiores volumes. Mesmo com baixa intensidade as últimas previsões confirmam a presença do fenômeno El Niño, que provoca chuvas acima da média no Sul do país e reduz o volume no Norte e Nordeste.

Redação: Daniela Vargas – Equipe Mais Soja

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.