A partir da safra 2016/17 foram iniciadas pesquisas via colaboração da Semillas Pires e agricultores no Paraguai. Na safra 2017/18, foi comprovada a existência de biótipos de Conyza sumatrensis (buva) apresentando resistência aos herbicidas paraquat, glyphosate e chlorimuron, no Paraguai, caracterizando o primeiro caso de resistência múltipla a herbicidas no Paraguai. Observando que as pesquisas seguiram os critérios internacionais (www.weedscience.org) e foram reportados oficialmente (aqui).



A safra 2017/18 marcou a intensificação da parceria com a Semillas Pires e produtores, além de iniciada a parceria com a FARM Consultoria & Investigación Agronómica. Da safra 2017/18 até o momento atual, foram realizadas várias atividades relacionadas a monitoramento de áreas, coleta de sementes, cultivos de gerações (produção de F1 e F2 de espécies com suspeita de resistência), condução de experimentos a campo e em condição controlada. Nesse contexto, será feito aqui apenas um pequeno relato do que há de resultados, em termos de estudo da resistência no Paraguai, feitos pelo Supra Pesquisa e Parceiros, na lista a seguir e via imagens (Figura 1):

  • Indicativo de resistência múltipla de Amaranthus hybridus a glyphosate e chlorimuron;
  • Indicativo de resistência múltipla de Euphorbia heterophylla a glyphosate e chlorimuron (material e resultados de F1 procedentes da FARM Consultoria & Investigación Agronómica);
  • Indicativo de resistência de Chloris polydactyla a glyphosate;
  • Monitoramento de resistência múltipla de Bidens subalternans;
  • Estudos que estão avançando em monitoramento e detecção: Conyza spp., Digitaria insularis, Eleusine indica, Raphanus spp., Avena strigosa, entre outras.
Figura 1. Imagens ilustrativas dos experimentos que foram e estão em realização com parceiros do Supra Pesquisa. A Imagem A retrata Amaranthus hybridus, em que da esquerda para a direita foram aplicados: chlorimuron, 2,4-D e glyphosate. A Imagem B caracteriza uma curva de dose-resposta em Euphorbia heterophylla com indicativo de resistência a glyphosate. Obs.: tudo conduzido no Paraguai.

Essas informações de indicativos são preocupantes, portanto, as pesquisas continuam (sobretudo no tocante a herdabilidade em F2 e curvas de dose-resposta) e mais resultados em breve serão mais bem expostas em futuras edições desse Informativo, na forma de vídeos (nas redes sociais e em nosso Canal no YouTube – ver indicação técnica abaixo) e relatados oficialmente (www.weedscience.org). Por fim, cabe destacar que o monitoramento da resistência no Paraguai, considerando os novos indicativos de resistência, os escapes em áreas de produção e a participação de agricultores, continua com maior intensidade. Nesse sentido convida-se a todos os interessados a contribuir, entrando em contato e auxiliando na coleta de sementes. Informa-se também que, a partir dos primeiros indicativos a campo de resistência de buva e agora de outras plantas daninhas, foram e serão intensificadas as pesquisas no sentido de alcançar soluções viáveis e sustentáveis no manejo destas plantas daninhas. Desde já agradecemos todos os agricultores, colaboradores e parceiros envolvidos na execução destas pesquisas.

Indicação Técnica: Confira o Canal no YouTube – Professores Alfredo e Leandro Albrecht, aqui.

ALERTA:
Se você que leu este informativo encontrar plantas daninhas com suspeita de resistência,
entre em contato imediatamente conosco do Supra Pesquisa e parceiros no Paraguai (Semillas Pires e FARM Consultoria).

Fonte: Informativo Supra Pesquisa, Ano II, Nº4, Junho de 2019

 

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.