Os preços da pluma de algodão na bolsa de Nova York alcançaram um acréscimo no mês de outubro em relação ao mês passado, trazendo melhores perspectivas para o cotonicultor.

Com isso, a valorização mensal foi de 4,89% e 4,41%, para os contratos dez/19 e jul/20, respectivamente. Desta forma, o mercado estende ao tom positivo da última sessão, diante da expectativa de aumento na demanda pela pluma norte-americana por parte da China, aliado aos ganhos do petróleo que também garantem suporte.

O contrato dez/19 foi influenciado principalmente pelo aspecto comercial e o ritmo do beneficiamento da pluma nos Estados Unidos. Com essa retomada de bons preços no mercado externo, a comercialização da pluma pode apresentar um avanço maior diante dos últimos levantamentos, e com isso, os produtores mato-grossenses certamente aproveitaram o bom momento para travar novos contratos.

Confira os principais destaques do boletim: 

• Diante do reflexo das cotações da ICE, o preço Imea-MT encerrou a semana com alta de 0,58%, cotado a R$ 76,49/@.

• A paridade de exportação dez/19 avançou 0,19% na semana, marcada pelo avanço na bolsa de Nova York, ficando cotada a um valor médio de R$ 86,37/@.



• Com a aprovação do Senado de estabelecer a nova Previdência e os novos projetos do governo brasileiro para a reforma tributária, a moeda norte-americana finalizou a semana com um recuo de 2,18%, cotada a R$ 4,06/US$.

• Pela segunda semana consecutiva os subprodutos de algodão em Mato Grosso tiveram uma queda, de 1,30%, 3,18% e 0,16%, encerrando a um preço médio de R$ 402,80/t, R$ 476,25/t e R$ 2.090,68/t, para caroço, torta e óleo, respectivamente.

Colheita Norte-Americana:

O USDA divulgou o acompanhamento semanal da safra 19/20 de algodão nos Estados Unidos. Desta forma, o cenário atual é voltado para a colheita de algodão da safra 19/20, que atingiu seus 46,00% até o dia 27/10, apresentando bons números quando comparado a média dos últimos cinco anos, 43,00%.

No que tange as condições climáticas até o momento a cultura não foi afetada, pois os relatos de geadas do dia 12/10 foram apenas nas regiões de grãos no centro-oeste, e as áreas de algodão concentra-se na região sul do país.

As principais produtoras de algodão Georgia, Mississippi e Texas, apresentanram bons avanços na colheita até o momento 56,00%, 73,00% e 36,00%, respectivamente. Já no parâmetro qualidade, quando analisada entre boas e excelentes, o cenário atual atinge 35,00% das lavouras.

Fonte: IMEA

Texto originalmente publicado em:
Imea
Autor: IMEA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.