Produtividade de soja em função de doses de magnésio em um latossolo amarelo muito argiloso

O objetivo desse estudo é analisar o desempenho na produtividade da soja em relação as diferentes dosagens de adubação com Mg.

Autores: Jôsi Mylena de Brito SANTOS(1); Adrianne Braga da FONSECA(2); Letícia Coelho Vaz SILVA(2); Luiz Fernando Favacho Morais FILHO(3); Manuella Almeida Raiol da SILVA(2); Mila Façanha GOMES(4)

Trabalho publicado nos Anais do evento e divulgado com a autorização dos autores.

Introdução

A soja (Glycine Max (L.) Merrill), vem ganhando espaço no Brasil contribuindo significativamente na economia e exportação. No estado do Pará, o município que apresenta maior destaque é Paragominas, com um crescimento anual significativo. Na Amazônia, o aumento da produtividade está pautado na demanda de tecnologia e de estudos nutricionais de acordo com cada cultura.

Um dos principais macronutrientes presentes nas plantas é o Magnésio (Mg), devido suas funções essenciais, auxiliando no crescimento vegetal, na absorção de fósforo e no balanço de cargas, controlando o pH das células e ativando enzimas.

A absorção ocorre na forma de cátion (Mg+2), caracterizado pela sua alta mobilidade na planta, sendo sua deficiência observada em folhas antigas. O objetivo desse estudo é analisar o desempenho na produtividade da soja em relação as diferentes dosagens de adubação com Mg.

Material e Métodos

O experimento foi conduzido em casa de vegetação na UFRA-Belém, o delineamento foi blocos ao acaso, no esquema 5×8, utilizando-se cinco doses de Mg (T0 = 0kg ha-1; T1 = 30kg ha-1; T2 = 60kg ha-1; T3 = 90kg ha-1 e T4 = 120kg ha-1), com oito repetições.

Foram mantidas três plantas de soja por vaso. O solo foi analisado quimicamente para corrigi-lo e adequá-lo à cultura da soja. A irrigação foi realizada com água destilada diariamente com o auxílio de uma balança digital.

Após a retirada do experimento, foram obtidos os valores relacionados a produtividade, Número de Vagens por Planta (NVP); Número de Grãos por Planta (NGP); por Vagem (NGV) e Peso de 100 grãos (P100), submetidos. Os valores obtidos foram submetidos à análise de regressão, e, sua significância foi verificada através do teste F.

Resultados e Discussão

As variáveis Número de Vagens por Planta, Número de Grãos por Planta e Peso de 100 grãos se adequaram melhor ao modelo de regressão quadrático e apresentaram significância em função da dose de Mg, com R² de 0,925; 0,876 e 0,976 respectivamente.

Entretanto, o número de grãos por vagem não apresentou significância em função das doses adotadas. A produtividade, por sua vez, obteve resultado significativo em função dos níveis de adubação, também se ajustando melhor ao modelo quadrático, tendo um R² = 0.788.

Conclusões

A utilização de doses de Mg influenciaram positivamente as variáveis número de vagens por planta, número de grãos por planta, peso de 100 grãos e produtividade. Entretanto, não surtiram efeitos no número de grãos por vagem.

Palavras-chave: macronutriente, grãos, adubação

Apoio financeiro: CNPq, UFRA, Juparanã.

Informações dos autores:     

(1)Estudante de graduação; Universidade Federal Rural da Amazônia/UFRA; Belém, PA;

(2)Estudante de graduação; UFRA, Belém, PA;

(3)Estudante de mestrado; UNESP, Jaboticabal, SP;

(4)Estudante de mestrado; UFRA, Belém, PA;

Disponível em: Anais do XXXVI Congresso Brasileiro de Ciência do Solo, Belém – PA, Brasil,2017.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.