InícioDestaqueQual o potencial de danos do caruru (Amaranthus hybridus) em soja?

Qual o potencial de danos do caruru (Amaranthus hybridus) em soja?

As plantas do gênero Amaranthus ou caruru como são popularmente conhecidas, vêm se destacando como plantas daninhas, infestando lavouras produtoras de grãos em diversas regiões do país. Essas plantas se destacam por apresentar características como rápido crescimento e desenvolvimento, grande produção de sementes e elevada habilidade competitiva, podendo ser consideradas plantas agressivas em meio a culturas agrícolas.

Além, disso, algumas espécies de caruru apresentam resistência conhecida a herbicidas, fato que em conjunto com sua grande produção de sementes e vários fluxos de emergência ao longo do ciclo da soja, fazem do caruru uma complexa planta daninha, de difícil controle. Dentre as espécies mais comuns, especialmente nas regiões Sul do Brasil, podemos destacar o Amaranthus hybridus.

Segundo Penckowski et al. (2020) uma planta de A. hybridus possui capacidade de produzir de 200 a 600 mil sementes durante seu ciclo de desenvolvimento, contribuindo significativamente para a sobrevivência da espécie nos períodos entressafra. Já com relação a resistência dessa daninha a herbicidas, Heapi (2021) destaca haver casos relatados de resistência do Amaranthus hybridus aos herbicidas Chlorimuron e Glyphosate, respectivamente, pertencentes aos mecanismos de ação dos herbicidas inibidores da ALS e herbicidas inibidores da EPSPs.

Qual o impacto do Amaranthus hybridus na cultura da soja?

Avaliando a interferência de Amaranthus hybridus evadido de um programa de herbicida e com resistência múltipla a EPSPs e herbicidas inibidores de ALS na produtividade da soja, Zandoná et al. (2022) observaram que à medida que a densidade populacional infestante de caruru aumenta em meio a soja, tem-se o incremento das perdas produtivas da cultura.

O estudo foi conduzido em área de sistema plantio direto, e os tratamentos consistiam em diferentes populações de A. hybridus com resistência múltipla a EPSPs e herbicidas inibidores de ALS. No experimento 1 (2018/19), as populações de A. hybridus foram 0, 0,3, 0,6, 1, 2, 5, 7, 9, 18, 34 e 41 plantas m -2; no experimento 2 (2019/20), as populações foram de 0, 0,5, 1, 2, 4, 8, 16 e 32 plantas m -2 (Zandoná et al., 2022). A cultivar analisada no presente estudo foi a BRASMAX ZEUS IPRO®.



Com base nos resultados obtidos pelos autores, além de perdas de produtividade, foram observadas reduções em componentes de produtividade da soja, tais como número de vagens por planta e número de grãos por planta, a medida em que a densidade populacional de caruru aumentava. Nas safras 2018/19 e 2019/20, as perdas de vagens planta -1 chegaram a 45 e 50%, enquanto as perdas de grão planta -1 atingiram 49 e 56% (Figura 1), respectivamente (Zandoná et al., 2022).

Figura 1. Perda de grãos planta-1 de soja (%) em função de Populações de Amaranthus hybridus com resistência múltipla a EPSPs e herbicidas inibidores de ALS nos experimentos realizado em 2018/19 (A) e 2019/20 (B).

Adaptado: Zandoná et al. (2022)

Com relação a produtividade da soja, os resultados obtidos por Zandoná et al. (2022) demonstram que cada planta de A. hybridus reduziu a produtividade da soja em 4,47% e 8,32% no primeiro e segundo ano, respectivamente (Zandoná et al., 2022), destacando a elevada habilidade competitiva dessa planta daninha.

Figura 2. Perda de rendimento planta-1 de soja (%) em função de Populações de Amaranthus hybridus com resistência múltipla a EPSPs e herbicidas inibidores de ALS nos experimentos realizado em 2018/19 (A) e 2019/20 (B).

Adaptado: Zandoná et al. (2022)

Com base nos resultados encontrados, os autores concluem que apenas uma planta de A. hybridus por m -2 com resistência múltipla aos EPSPs e herbicidas inibidores de ALS pode reduzir em média 6,4% a produtividade de grãos da soja (Zandoná et al., 2022), logo, fica evidente a necessidade de um eficiente manejo e controle do caruru, especialmente se tratando de espécies que apresentam resistência conhecida a herbicidas, tais como o Amaranthus hybridus.


Veja mais: MISSÃO CARURU – Episódio 20 – A palha e o caruru


Referências:

HEAP, I.  THE INTERNATIONAL HERBICIDE-RESISTANT WEED DATABASE, 2022. Disponível em: < https://www.weedscience.org/Pages/Species.aspx >, acesso em: 26/01/2022.

PENCKOWSKI. L. H. et al. ALERTA! CRESCE O NÚMERO DE LAVOURAS COM Amaranthus hybridus RESISTENTE AO HERBICIDA GLIFOSATO NO SUL DO BRASIL: O PRIMEIRO PASSO É SABER IDENTIFICAR ESSA ESPÉCIE! Revista FABC – Abril/Maio 2020. Disponível em: < https://www.upherb.com.br/ebook/REVISTA-Fabc.pdf >, a cesso em: 26/01/2022.

ZANDONÁ, R. R. et al. ECONOMIC THRESHOLD OF SMOOTH PIGWEED ESCAPED FROM A HERBICIDE PROGRAM IN ROUNDUP READY® SOYBEAN. Adv Weed Sci. 2022. Disponível em: < https://awsjournal.org/wp-content/uploads/articles_xml/2675-9462-aws-40-spe2-e20210011/2675-9462-aws-40-spe2-e20210011.pdf >, acesso em: 26/01/2022.

Acompanhe nosso site, siga nossas mídias sociais (SiteFacebookInstagramLinkedinCanal no YouTube)

 

Equipe Mais Soja
Equipe Mais Soja
A equipe editorial do portal Mais Soja é formada por profissionais do Agronegócio que se dedicam diariamente a buscar as melhores informações e em gerar conteúdo técnico profissional de qualidade.
Artigos relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Populares