Para cada 1.000 kg de grãos de soja produzidos, com um teor médio de 6,5% N, são necessários cerca de 80 kg de Nitrogênio por hectare (65 kg alocados nas sementes e 15kg nas folhas, caule e raízes).

Considerando um rendimento de 3.000 kg de grãos/ha, a planta necessita, portanto, 240 kg de N/ha. Os solos brasileiros são pobres em N, normalmente sendo capazes de fornecer somente de 10 a 30 kg de N/ha e, considerando a contribuição máxima de 30 kg de N, haveria uma pequena redução da demanda de N, para 210 kg de N/ha.

Se forem utilizados fertilizantes nitrogenados, as perdas de N são elevadas, por lixiviação, escorrimento superficial, desnitrificação e volatilização, raramente excedendo 50% do aplicado. Consequentemente, na verdade seriam necessários 420 kg de N/ha , ou 930 kg de ureia, a forma mais utilizada, que contem 45% de N.

Esse exemplo mostra como a cultura e exigente em N. Cabe salientar, ainda, que o potencial genético da soja e estimado em, aproximadamente, 8.000 kg de grãos/ha , rendimento esse que demandaria mais de 1.100 kg de N.

Quer saber mais consulte o livro: A importância do processo de fixação biológica do nitrogênio para a cultura da soja: componente essencial para a competitividade do produto
brasileiro.

Fonte: Embrapa

Autores: Mariangela Hungria, Rubens Jose Campo e leda Carvalho Mendes

Texto originalmente publicado em:
Embrapa
Autor:

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.