A sequência de dias de tempo seco no Estado tem assegurado a implantação das lavouras, que alcança 97% da intenção de plantio no RS. Nas regiões administrativas da Emater/RS-Ascar de Bagé e Santa Rosa, os plantios ocorreram de forma mais lenta.

Na de Bagé, a expectativa de atingir a intenção de plantio de 396 mil hectares está condicionada à limitação imposta pelos reservatórios de água que não atingiram a totalidade de armazenamento, em parte dos municípios da região. Nas áreas semeadas recentemente, há dificuldade de emergência em virtude de os produtores estarem racionalizando o uso da água na fase inicial. Na Campanha, como estratégia de otimização de água, são selecionadas áreas com desenvolvimento inicial mais prejudicado.

Em Uruguaiana, na Fronteira Oeste, as operações de plantio estão retardadas. Os reservatórios se encontram com 70% de sua capacidade armazenada. As lavouras não apresentam desenvolvimento vegetativo adequado após a diminuição da unidade no solo. Os produtores estão receosos de fazer uso de irrigação por inundação para auxiliar nos estágios iniciais, e em períodos mais avançados de crescimento, não disporem de água suficiente para todo o cultivo. É baixa a incidência de ervas daninhas.

Na regional da Emater/RS-Ascar de Santa Rosa, ainda são preparadas algumas áreas para semeadura mais tardia, aproveitando as condições de solo seco que favorecem a mecanização. Produtores fazem o manejo da irrigação com lâmina baixa para evitar desperdício de água das barragens e garantir o suprimento para o desenvolvimento da cultura.

Na de Porto Alegre e Santa Maria, avançam as semeaduras. Na de Porto Alegre, o tempo foi favorável, com pouca chuva na semana, permitindo a continuidade dos trabalhos de preparo e favorecendo a semeadura. O plantio já chega a 95% do total da área prevista de 216 mil hectares. As lavouras estão em fase inicial, com boa germinação devido à umidade do solo. Na de Santa Maria, o plantio avançou consideravelmente e já chega a 79% de 133 mil hectares previstos, com cultivos apresentando bom desenvolvimento inicial.



Na de Soledade, a chuva ocorrida em 16/11 favoreceu a germinação e a emergência de lavouras com plantio em solo seco e viabilizou novas semeaduras. Nas com sistema de cultivo pré-germinado, seguem ótimos o crescimento e o desenvolvimento vegetativo. Na região de Pelotas, a semana foi bastante favorável para as semeaduras, e são necessárias chuvas para a germinação e a emergência das últimas lavouras semeadas.

O arroz já semeado está em desenvolvimento vegetativo, dentro da normalidade, com bom
estande de lavoura e condições normais de sanidade. Na maioria dos municípios, já foi semeada 100% da área de intenção de cultivo. Há áreas por semear em Canguçu, que está
com 95% de implantação, e em Pedras Altas, com 90% das áreas. Os reservatórios de água estão nos níveis adequados e suficientes para a irrigação das áreas já semeadas.

Mercado (saca de 50 quilos)

No levantamento semanal realizado pela Emater/RS-Ascar no Estado, o preço médio do arroz chegou a R$ 102,13/sc., com redução de 0,28% em relação ao da semana anterior. Na regional de Bagé, o preço médio é estável, a R$ 100,00; na de Pelotas, entre R$ 100,00 e R$ 105,00. Nas regiões de Santa Rosa, R$ 98,00; na de Porto Alegre, R$ 111,00; na de Soledade, R$ 95,50. Em Santa Maria, o preço médio se mantém estável em R$ 98,10/sc.

Fonte: Emater/RS

Texto originalmente publicado em:
Emater/RS
Autor: Informativo Conjuntural 1634

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.