O secretário Covatti Filho e representantes das entidades ligadas à  Agricultura no Estado reuniram-se, nesta terça-feira (2), por meio de videoconferência, com agentes de instituições financeiras que operam com o crédito rural. Na pauta: saber como andam as renegociações dos financiamentos e o acesso aos recursos emergenciais previstos nas resoluções do Banco Central, que foram emitidos devido à estiagem ocorrida na última safra.

O grupo ligado aos bancos relatou que eles estão em processo de enquadramento dos produtores rurais nas medidas, com aplicação das resoluções nos municípios que decretaram emergência devido à estiagem, e de aplicação do Manual de Crédito Rural, que também prevê prorrogação, nos demais municípios.

Segundo os agentes financeiros, nas cidades com decreto de emergência, as renegociações são simplificadas, sem analisar a capacidade de pagamento do produtor. Porém, nas demais, é analisada a capacidade de pagamento e laudo técnico com as perdas, e o prazo dado é variável, conforme o caso. Até o momento, afirmam, existem mais de 10 mil pedidos de prorrogação no Rio Grande do Sul.

Eles estimam que o crédito emergencial para custeio agrícola e pecuário, de R$ 20 mil para a agricultura familiar, e de R$ 40 mil para os produtores de porte médio, deve começar a ser liberado nos próximos dias, pois os bancos, até este momento, estavam em processo de regulamentação interna.

A Seapdr, por sua vez, solicitará a extensão do prazo para o produtor contratar as renegociações e os créditos emergenciais, atualmente limitado até 30 de junho, como forma de garantir o acesso e os benefícios a todos os produtores interessados.

“Esta foi uma demanda dos produtores e entidades representativas, que se viram com dificuldades em cumprir suas obrigações financeiras após os prejuízos causados pela estiagem. Depois de termos alcançado o pleito, precisamos acompanhar o andamento da situação para termos certeza de que nossos produtores terão a oportunidade de renegociação”ressaltou o secretário Covatti Filho.

Ainda pendente, a ampliação do prazo para o município decretar emergência poderá ter desfecho em breve. Na semana passada, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento solicitou à Secretaria da Agricultura uma estimativa do número de municípios que decretaram emergência até o momento, e a área plantada com as culturas que tiveram perdas, em cada um dos municípios, como previsão de recursos do tesouro federal que serão necessários nas renegociações.

Participaram da reunião: secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Covatti Filho; diretor de Política Agrícola da Seapdr, Ivan Bonetti; superintendente do Banco do Brasil, Everton Kapfenberger; superintendentes do Banrisul, Robson Santos e Odir Zalamena; vice-presidente do Sicredi, Marcio Port; assessor da diretoria do BRDE, Paulo Roberto Silva; diretor da Fetag, Eugênio Zanetti.

Fonte: Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural – Seapdr

Texto originalmente publicado em:
Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural - Seapdr
Autor: SEAPDR

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.