Com as chuvas de domingo (30/09), os produtores da região da Cocamar ficaram ainda mais animados com este início de temporada 2018/19. Eles começaram a operação mais cedo, desta vez, favorecidos pela umidade, que tem ocorrido na hora certa. Em alguns lugares, a soja já germinou e o desenvolvimento vai de vento em popa.

No final – Em Floresta, região de Maringá, choveu 15 milímetros no domingo, volume que se somou a outros 10 milímetros registrados na quinta-feira (27/09). De acordo com o gerente da unidade local da Cocamar, Márcio Sartori, 75% das lavouras já estão semeadas e com mais três dias de tempo firme, o serviço será finalizado. “Além de mais umidade, que é sempre bem-vinda, as chuvas de domingo deram uma pausa na semeadura, evitando superconcentrar a colheita lá na frente”, explica. O gerente acredita que, com essa antecipação, a colheita começa no final de janeiro.

Mais tardio – No município de Arapongas, que fica próximo a Londrina, as chuvas de domingo totalizaram 30 milímetros e a semeadura ainda está só começando. “Alguns produtores já semearam, mas para muitos ainda falta colher trigo”, comenta o gerente Everton Cestaro, da unidade da Cocamar. Assim que o cereal sair, a soja entra com tudo e, de acordo com Cestaro, as plantadeiras vão trabalhar por lá até o começo de novembro – na região o ciclo de verão é sempre mais tardio.

Trigo – Quanto ao trigo, a safra deste ano ficou, mais uma vez, abaixo do esperado, por causa dos problemas climáticos. A cultura enfrentou um longo período de estiagem e, quem colheu mais cedo, obteve média de 100 sacas por alqueire (41,3/hectare), segundo dados da unidade. Nos últimos dias, com a colheita das lavouras mais prejudicadas, a média tem sido bem inferior.

ILPF – Campeão de produtividade de soja em sistema de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), o cooperado César Vellini, de Jardim Olinda (PR), está entre os que intensificaram nos últimos dias a semeadura. “Se a gente consegue semear cedo, e se tiver chuvas boas durante o desenvolvimento, dá tudo certo”, afirma. Vellini utiliza as melhores tecnologias para garantir boa produtividade. “Eu faço a minha parte e se tiver a ajuda de São Pedro, o resultado é bom”, completa.

Fonte:Imprensa Cocamar, disponível no Portal do Sistema Ocepar

 

Texto originalmente publicado em:
Portal do Sistema Ocepar
Autor: Cocamar

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.