No período, a semeadura da cultura alcançou 90% da área de 777.442 hectares da intenção de plantio no Estado. Das lavouras implantadas, 39% estão na fase de desenvolvimento vegetativo, 22% em floração, 35% em enchimento de grãos e 4% em maturação.

Na regional de Santa Rosa, estão implantados 77% da área, concluída assim a implantação do milho primeira safra. Das lavouras, 5% estão na fase de desenvolvimento vegetativo, 15% em floração, 75% já estão em enchimento de grão, 6% em maturação e 1% já colhido. No geral, o desenvolvimento da cultura e o estado fitossanitário estão bons. As lavouras apresentam baixo índice de ataque de pragas e de incidência de doenças.

Na regional da Emater/RS-Ascar de Caxias do Sul, as lavouras estão nas fases de desenvolvimento vegetativo e floração. Em geral, o déficit hídrico tem atrasado o ciclo de desenvolvimento da cultura. Em particular, a situação se repete nos municípios de menor altitude da região, que estão com lavouras em floração, e nas quais as precipitações são fundamentais para a polinização.

Na de Frederico Westphalen, a cultura está apresentando bom aspecto; 8% das lavouras estão na fase de desenvolvimento vegetativo, 25% em floração, 66% em enchimento de grãos e em 1% inicia a fase de maturação.

Na de Ijuí, 96% da área prevista para a safra está semeada. As lavouras estão nas seguintes fases: 10% em desenvolvimento vegetativo, 28% na fase de floração, 58% em enchimento de grãos e 4% já em fase de maturação. O déficit hídrico tem prejudicado a cultura, sobretudo nas lavouras em fase de floração e em enchimento de grãos, reduzindo o rendimento final.

Inclusive há produtores que estão solicitando acesso no Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro). Nas regiões em que ocorreram precipitações, a cultura se apresenta com bom desenvolvimento e ótimo potencial produtivo. E nas lavouras irrigadas, os benefícios produtivos da cultura foram potencializados pela alta intensidade da radiação solar e por temperaturas elevadas.

Na regional da Emater/RS-Ascar de Soledade, 74% das áreas previstas na intenção de plantio estão semeadas, e 50% das lavouras encontram-se na fase de desenvolvimento vegetativo, 20% em floração e 30% em enchimento de grãos. Em geral, a cultura passa por período de estresse hídrico devido à baixa umidade do solo em toda a região. Não ocorrem precipitações volumosas desde oito de novembro; o problema é mais acentuado em Encruzilhada do Sul e Pantano Grande, que não receberam sequer as chuvas das duas últimas semanas. No Corede Vale do Rio Pardo, ocorreu a colheita das primeiras lavouras de tabaco e, de imediato, foi feita a semeadura de milho na resteva. As chuvas ocorridas na quarta-feira favorecem a semeadura.

Na de Passo Fundo, a cultura de milho está implantada em 98% da área de 61.889 hectares previstos na intenção de plantio. As lavouras estão na fase de desenvolvimento vegetativo e em florescimento, e seguem recebendo tratos culturais de controle fitossanitário e de adubações de cobertura.



Na de Erechim, as lavouras apresentam ótimo potencial produtivo, com 15% delas na fase de desenvolvimento vegetativo, 35% em floração e 50% em enchimento de grãos. Com as chuvas ocorridas na região, o nível de umidade voltou à normalização.

Na regional de Bagé, o plantio do milho atingiu 79% da área prevista de 40.499 hectares. Há produtores realizando semeadura do milho. As lavouras apresentam bom estande de plantas; 43% delas encontram-se na fase de desenvolvimento vegetativo, 15% em floração, 40% em enchimento de grãos e 2% em maturação. Os produtores seguem realizando aplicação de herbicidas e de ureia, além de controlarem o ataque de lagartas.

Na região de Pelotas, a semeadura avançou na semana e chegou a 55% da área de 53.724 hectares, em razão das melhores condições do tempo. As lavouras estão 100% na fase de desenvolvimento vegetativo e com bom aspecto.

Em virtude da ausência de precipitações, a semeadura foi paralisada. Em Piratini a semeadura chegou a 75% do previsto, Herval com 56% e São Lourenço do Sul com 50% semeados. Em Pelotas estão semeados 42,0% e em Canguçu, 47,0%. Seguem as atividades de preparo de áreas para a semeadura do restante previsto. Em algumas lavouras foi observado ataque de lagartas.

Na região administrativa da Emater/RS-Ascar de Porto Alegre, a semeadura atingiu o patamar de 84% da área de 34.133 hectares prevista na intenção de plantio para a safra. As fases da cultura do milho são as seguintes: 59% em germinação e desenvolvimento vegetativo, 25% em floração, 15% em enchimento de grãos e 1% em maturação. Na região do Corede Centro-Sul, a cultura já apresenta sinais de estresse hídrico, e em algumas áreas as perdas já são irreversíveis. Os produtores seguem realizando os plantios previstos e os tratos culturais nas lavouras já implantadas.

Na de Santa Maria, a semeadura avançou na semana para 65% da área prevista de 41.295 hectares. Das lavouras implantadas, 58% delas encontram-se em desenvolvimento vegetativo, 27% na fase de floração, 14% na de enchimento de grãos, 1% já na fase de maturação. Os produtores seguem realizando o preparo de novas áreas de plantio e os tratos culturais.



Mercado (saca de 60 quilos)

Segundo o levantamento semanal da Emater/RS-Ascar, o preço médio da cultura chegou em R$ 36,54/sc., com aumento de 0,88% em relação à semana anterior. Na região de Ijuí, os preços estão sendo praticados entre R$ 35,00 e R$ 36,00, com preço médio de R$ 35,40. Em Passo Fundo, a cotação se manteve em R$ 36,00. Na região de Frederico Westphalen, o preço cotado foi de R$ 35,00. Na região de Bagé, o milho foi negociado ao preço médio de R$ 35,00.

Em Erechim, a cotação esteve entre R$ 39,00 e R$ 41,00; na região de Santa Rosa, o preço médio se manteve em R$ 35,10 e na regional de Pelotas, variou entre R$ 31,00 e R$ 42,00; na de Caxias do Sul, entre R$ 36,00 e R$ 40,00. Na regional da Emater/RS-Ascar de Santa Maria, o preço médio chegou a R$ 35,00; na de Porto Alegre, o valor cotado foi de R$ 38,30. Na regional de Soledade, o valor médio foi de R$ 35,00/sc.

Milho silagem

Na regional da Emater/RS-Ascar de Frederico Westphalen, 10% das lavouras estão na fase de desenvolvimento vegetativo, 27% em floração, 60% em enchimento de grãos e 3% em maturação. Em geral, as lavouras seguem apresentando bom desenvolvimento.

Na região de Santa Maria, foram implantados 68% da área de 6.039 hectares destinada à produção de silagem; as lavouras se encontram nas fases de desenvolvimento vegetativo, floração e em enchimento de grãos.

Na de Erechim, 60% das lavouras se encontram na fase de floração e 40% em enchimento de grãos, se mantendo com ótimo potencial produtivo.

Na de Pelotas, as lavouras já evidenciam os efeitos das temperaturas elevadas (36°C) e dias secos com a paralisação do desenvolvimento, ocorrendo o murchamento das plantas nas horas mais quentes do dia. O valor do produto na lavoura está cotado em R$ 0,17/kg, e o interessado tem que colher e transportar.

Na região administrativa da Emater/RS-Ascar de Porto Alegre, o plantio avançou diante das condições climáticas favoráveis, chegando a 82% da área estimada de 9.222 hectares. Das lavouras implantadas, 64% encontram-se na fase de desenvolvimento vegetativo, 25% em floração e em 11% delas inicia o enchimento de grãos. A silagem tem sido comercializada na região a R$ 250,00/sc. de 40 quilos.

Fonte: Emater/RS

Texto originalmente publicado em:
Emater/RS
Autor: Informativo Conjuntural - nº 1584

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.