Seminário nacional debate certificação de equipamentos utilizados no manejo de agrotóxicos

0
350
Fonte: Divulgação

Programa do CEA-IAC transfere conhecimento sobre a qualidade de vestimentas de proteção e a exposição de trabalhadores a defensivos agrícolas; órgão apoia países que buscam padronizar testes de segurança

Acontece a partir de hoje, na cidade de Campinas (SP), o Seminário Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho no Agronegócio. Voltado a questões de saúde, segurança e meio ambiente rural, o evento reúne profissionais e entidades do setor agrícola. O pesquisador científico Hamilton Ramos, coordenador do programa IAC de Qualidade de Equipamentos de Proteção na Agricultura (Quepia), apresenta na tarde desta quarta-feira (7) à palestra Certificação de EPI em atividades de manejo com defensivos agrícolas.

O Programa IAC-Quepia une o Instituto Agronômico – órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo – à indústria de vestimentas de proteção, e atua na área de pesquisa científica com o objetivo de elevar a qualidade de roupas protetivas empregadas na aplicação de agrotóxicos.

Em mais de dez anos de atividades, o Programa IAC-Quepia ajudou o Brasil a tornar-se pioneiro na adoção de uma legislação baseada em normas da ISO – International Standartization Organization –, para prover segurança ao trabalhador aplicador de agrotóxicos. Nos dias de hoje, o IAC-Quepia também exporta conhecimento aos principais países agrícolas da Europa, que buscam a padronização de testes de resistência e segurança aplicados a vestimentas de proteção agrícola.

No Brasil, o programa IAC-Quepia detém ainda a atribuição de certificar a qualidade de vestimentas de proteção produzidas pela indústria nacional. As empresas que submetem seus produtos à avaliação do órgão, e obtêm aprovação nos testes de segurança, recebem o selo IAC de Qualidade.

Pesquisador-doutor do Centro de Engenharia e Automação (CEA) do IAC, sediado no município paulista de Jundiaí, o palestrante Hamilton Ramos também coordena no Brasil a Unidade de Referência em Segurança e Tecnologias na Aplicação de Agrotóxicos. A entidade, recém-criada por uma parceria entre o CEA-IAC e a iniciativa privada, visa a formar mão de obra especializada no manejo de defensivos agrícolas.

Fonte: Assessoria de Imprensa CEA – IAC

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.