Dessa maneira, a soja considerada safrinha não depende da cultura plantada anteriormente, mas sim do momento da semeadura, ou seja, um plantio tardio, realizado já no final do ciclo natural da soja, é considerado uma soja safrinha. Por outro lado, é consenso que a soja na mesma área (soja sobre soja) é totalmente inviável devidos aos riscos com pragas e, por isso, não será discutido neste momento.


Por que foi adotado o vazio sanitário e somente agora
se propõe a calendarização?


Para fungos como o causador da ferrugem, que se disseminam pelo vento, não existe muita influência do cultivo anterior (se foi feijão ou milho) pois o fungo se dissemina a longas distâncias, vindo de áreas que já receberam aplicação e não necessariamente da mesma fazenda.


Não é só a ferrugem-asiática!!


Este post faz parte de documento elaborado pela Andef, Sindiveg, AgroBio Brasil CIB, Abrass, Abrasem, Braspov, Fundação MT, Consórcio Anti Ferrugem e CESB, com apoio do FRAC, IRAC e HRAC. Acesse o documento completo aqui.

Se você concorda com a posição destas instituições, acesse e confira o Manifesto em favor da sustentabilidade de sojicultura Brasileira aqui.


Confira a posição do pesquisador Décio Gazzoni da Embrapa – Soja.


Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.