Conheça os eventos transgênicos de tolerância a herbicidas na cultura da soja e saiba mais sobre o isoxaflutole!

Você sabia que hoje no Brasil temos 19 eventos transgênicos aprovados para a cultura da soja, dos quais 9 deles apresentam tolerância à herbicidas?

No meio de tantas opções fica até difícil escolher qual tecnologia será mais útil, não é mesmo?

Abaixo você pode ver uma lista dos eventos de tolerância à herbicidas aprovados na cultura da soja.

Hoje vamos falar um pouco mais sobre a tolerância ao isoxaflutole.

Tolerância Ano de aprovação para plantio no Brasil Genes inseridos Planta ou organismo doador
glyphosate 1998 cp4epsps cepa (CP4) da bactéria de solo Agrobacterium tumefaciens
imidazolinonas 2009 csr1-2 planta Arabidopsis thaliana
glufosinate 2010 pat bactéria de solo Streptomyces viridochromogenes
2,4-D e glufosinate 2015 aad-12 e pat bactéria Delftia acidovorans e bactéria Streptomyces viridochromogenes
glyphosate e isoxaflutole 2015 2mepsps e hppdPF W336 milho e bactéria Pseudomonas fluorescens
2,4-D, glyphosate e glufosinate 2015 aad-12,  pat e 2mepsps bactéria Delftia acidovorans, Streptomyces viridochromogenes e milho
glyphosate, glufosinate e isoxaflutole 2015 2mepsps, hppdPF W336 e pat milho, bactéria Pseudomonas fluorescens e bactéria de solo Streptomyces viridochromogenes
dicamba 2016 dmo bactéria Stenotrophomonas maltophilia
dicamba e glyphosate 2017 dmo e cp4epsps bactéria Stenotrophomonas maltophilia e bactéria Agrobacterium tumefaciens

  Fonte: Tabela feita com base no Conselho de Informações sobre biotecnologia (CIB).

Como você pode perceber, a soja tolerante ao isoxaflutole não vem inserida sozinha, ela vem acompanhada da tolerância aos herbicidas glyphosate e/ou glufosinato.

O isoxaflutole é um herbicida seletivo sistêmico, do grupo químico isoxazol (F2), pertencente ao Mecanismo de ação dos Inibidores da Biossíntese de Carotenóides.

Ele é utilizado para o controle de gramíneas e dicotiledôneas (folhas largas), em pré-emergência nas culturas de algodão, batata, cana-de-açúcar (soqueira seca, úmida e cana planta), mandioca, milho e soja tolerante ao isoxaflutole. 

O isoxaflutole é um importante herbicida para o controle de:

  • Capim-braquiária (Urochloa decumbens);
  • Capim-carrapicho (Cenchrus echinatus);
  • Picão-preto (Bidens pilosa);
  • Capim-colchão (Digitaria horizontalis);
  • Capim-marmelada (Urochloa plantaginea).

A dose do produto é calculada de acordo com o solo, sendo de 100 g/ha em solos leves e de 100 a 140 g/ha em solo médio a pesado.

Hoje, no Brasil, temos aprovados os eventos FG72 e FG72 x A55547-I27.

O evento FG72 corresponde a soja tolerante aos herbicidas glyphosate e isoxaflutole. Foi obtida pela introdução dos genes 2mepsps, proveniente do milho, e hppdPF W336, isolado da bactéria Pseudomonas fluorescens. O primeiro confere tolerância ao glyphosate e o segundo é responsável pela tolerância ao isoxaflutole (CIB, 2019).

A soja tolerante aos herbicidas glyphosate e isoxaflutole foi aprovada em 2015 no Brasil para plantio, consumo animal e humano.

Já o evento FG72 x A55547-I27, corresponde a soja tolerante aos herbicidas glyphosate, glufosinato e isoxaflutole. Foi obtida pelo cruzamento dos eventos FG72 e A5547-127. 

O evento FG72 possui os genes 2mepsps, proveniente do milho, e hppdPF W336, isolado da bactéria Pseudomonas fluorescens. O primeiro confere tolerância ao glyphosate e o segundo ao isoxaflutole. 

O A5547-127 possui o gene pat, proveniente da bactéria de solo Streptomyces viridochromogene, que confere resistência ao glufosinato.

A soja tolerante aos herbicidas glyphosate, isoxaflutole e glufosinato foi aprovada em 2015 no Brasil para plantio, consumo animal e humano.

Conclusão

No texto de hoje vimos os eventos aprovados no Brasil que possuem a tolerância a herbicidas para a cultura da soja.

Vimos também sobre a soja tolerante ao isoxaflutole, quais plantas daninhas ele controla, e os 2 eventos aprovados no Brasil.

Além disso, vimos que esta tecnologia não vem sozinha, mas sim aliada a 2 outros importantes herbicidas, o glyphosate e/ou glufosinate.

Gostou do texto? Tem mais dicas sobre os herbicidas Inibidores da ACCase? Adoraria ver o seu comentário abaixo!

Sobre a Autora: Ana Ligia Girardeli é Engenheira Agrônoma formada na UFSCar. Mestra em Agricultura e Ambiente (UFSCar) e Doutora em Fitotecnia (USP/ESALQ). Atualmente está cursando MBA em Agronegócios.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.