As lavouras que apresentam soja voluntária (tiguera) devem receber manejo para o controle. Para um trabalho eficiente, o Departamento Técnico da Cotrijal recomenda aos produtores monitorar áreas e buscar informações para que as plantas não permaneçam no campo por muito tempo. Além de atrapalhar a produção, invasora pode deixar focos de doenças como oídio, mofo branco e a ferrugem Asiática na próxima safra de verão.

“A chuva dos últimos dias, associada a temperaturas amenas, ocasionou um ambiente propício para a manifestação desse tipo de doenças. Organizar a entrada na lavoura, com a correta aplicação de herbicidas é fundamental. Na dúvida, o produtor deve procurar pela assistência da Cotrijal”, recomenda o coordenador técnico de Difusão, Alexandre Nowicki.

No RS, o outono não teve  formação de geadas até o momento, o que favoreceu o desenvolvimento e a presença da soja voluntária no campo. “Esse é um problema que está presente em todo o Estado, em áreas de pousio e também naquelas áreas que receberam plantas de cobertura. É um controle necessário e de extrema importância”, pontua o coordenador.

PROGRAMA SENTINELA
Essa é uma dica do Programa Sentinela Cotrijal, que apresenta informação, com o adequado planejamento para a sua lavoura.

Para mais dicas do Programa Sentinela Cotrijal, acesse nosso Facebook e siga-nos no Instagram.

Confira a entrevista com o coordenador Técnico de Difusão, Alexandre Nowicki

Fonte: Portal da cooperativa Cotrijal

Texto originalmente publicado em:
Cotrijal
Autor: Cotrijal

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.