Ainda protótipo em desenvolvimento pela startup Eleva, um superdrone deve revolucionar o mercado da agricultura de precisão. Com cinco metros de largura e barra de pulverização de seis metros, o Eleva Spray 150 está em sua etapa final para, na sequência, ser comercializado tanto no Brasil quanto lá fora, ainda este ano.

O veículo aéreo não tripulado (vant) pesa 150 quilos e tem a capacidade de estocar até 80 litros de insumo por operação de pulverização de lavouras, com desempenho para aplicação de, ao menos, 20 hectares por hora, durante as 24 horas do dia.

“Uma vantagem da Eleva é que a legislação brasileira para uso de vants é baseada na europeia, que é a mais restritiva mundialmente. Portanto, as certificações no Brasil vão garantir que o equipamento esteja preparado para passar nos testes no exterior também. Essa é a principal premissa para ganharmos escala com agilidade”, comenta o diretor técnico da startup, Celso Faria de Souza.

O projeto do superdrone Eleva Spray 150 é financiado com verba de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) na Zona Franca de Manaus (AM) e realizado em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Tecnológico (INDT), sob a supervisão da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa).

Composição do sistema

Protótipo é composto pelo vant e pela estação de controle GS (Ground Station). Foto: Divulgação

Basicamente, o sistema é composto pelo vant e pela estação de controle GS (Ground Station), além de pessoal técnico responsável pela operação em dois modos: pilotagem manual e automatizada.

Dentre as vantagens que tornam o Eleva Spray 150 um equipamento diferenciado está a possibilidade de ele ser usado à noite, quando algumas condições estão mais favoráveis à pulverização, tais como: maior umidade, menor temperatura, menos ventos e maior facilidade da planta em absorver os defensivos sistêmicos, entre outras.

Novas rodadas de investimentos

No momento, a Eleva busca novas rodadas de investimentos para conversão do protótipo em um produto vendável para industrialização e comercialização do Eleva Spray, além de focar na busca pelas certificações necessárias para operação junto à Agência Nacional de Aviação Civial (Anac) e Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Diretor-executivo da startup, Luciano Castro diz que o intuito da Eleva “é entrar em diversos segmentos de negócios, em um futuro breve, adaptando o vant para além da agricultura, com missões relacionadas à segurança pública e à inspeção de linhas de transmissão de energia, por exemplo”.


Quer saber mais Sobre Drones. Confira.


Ele ainda detalha o compromisso e a responsabilidade da Eleva com o mercado: “O namingEleva significa fazer subir, levantar, enaltecer, engrandecer, e visa reforçar o compromisso assumido pelo nosso time de entregar soluções que elevem o desempenho dos mercados em que atua, assim como os seus resultados, executando tarefas com maior precisão e otimização de custos”.

Os empreendedores

Luciano Castro, Celso Faria de Souza e Norberto Maraschin Filho comandam a startup Eleva e o projeto do superdrone Eleva Spray 150. Foto: Divulgação

À frente da startup e do projeto de agricultura de precisão estão seus fundadores: Celso Faria de Souza, Luciano Castro e Norberto Maraschin Filho. Formados em engenharia pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA),o trio viu no mercado de vants uma grande oportunidade para empreender.

Souza começou, em 2001, a ministrar cursos nas áreas de engenharia e ciências aeronáuticas, além de obter experiências em empresas como SETE Linhas Aéreas, Aliança Aviação, Brasil Vida Táxi Aéreo, KI Avionics, NEO Táxi Aéreo, entre outras. É sócio de Castro na Enhanced Works, empresa com mais de 15 anos de know-how, fornecendo soluções de engenharia para o mercado aeronáutico e a indústria em geral.

Fez dezenas de cursos e treinamentos na área aeronáutica, no Brasil e no exterior, e hoje cursa especialização em projetos de aeronaves, na Universidade do Kansas, nos Estados Unidos.

Castro, por sua vez, entrou para a Força Aérea Brasileira no mesmo ano e permaneceu até 2010. Entre os projetos dos quais foi head, destaca o T-27, no qual foi responsável por uma frota de mais de cem aviões. Também acumula experiências na VLI Logística e na Capital51, além de dirigir a Enhanced Work, junto com Celso.

Já Maraschin saiu do ITA direto para ocupar posições em empresas de consultoria, como a Booz Allen Hamilton e a Oliver Wyman, em mercados como Brasil, Colômbia, Equador e Índia. Desde 2009, integra a equipe da Positivo Tecnologia, quando assumiu a gerência de Estratégia e Novos Negócios.

No ano seguinte, coordenou as negociações que resultaram na entrada da companhia nos mercados da Argentina e do Uruguai e a consequente criação da joint venture entre a Positivo Tecnologia e a BGH, assumindo a cadeira de CEO da Informática Fueguina, empresa resultante desse processo, com sede em Buenos Aires, Argentina. Depois de três anos no exterior, foi repatriado para assumir a vice-presidência de Mobilidade e Negócios Internacionais.

Ex-ministro integra Conselho Consultivo

Ex-ministro e engenheiro aeronáutico Ozires Silva faz parte do Conselho Consultivo da Eleva. Foto: Divulgação

Além dos fundadores, uma personalidade nacional e importante na área de engenharia aeronáutica integra o Conselho Consultivo da Eleva: Ozires Silva, ex-ministro da Infraestrutura e ex-ministro das Comunicações do Brasil.

“A reputação de Ozires Silva, ex-ministro e fundador da Embraer (Empresa Brasileira de Aeronáutica), o precede. É um dos grandes nomes que fazem parte da história da indústria brasileira e nos recebeu em seu escritório, em São Paulo, para uma reunião de 30 minutos”, lembra Maraschin.

A conversa, no entanto, “se estendeu por mais de duas horas, devido ao entusiasmo e à receptividade com que Ozires analisava a (startup) Eleva e a contextualizava com suas experiências no mundo dos negócios. Ficamos exultantes quando, ao fim da reunião, Ozires Silva concordou em participar do conselho de nossa empresa”, conta o executivo,

Atração da Agrishow 2019

Repetindo a parceria do ano passado, o protótipo do Eleva Spray 150 será uma das atrações da Agrishow 2019 – 26ª Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação, marcada de 29 de abril a 3 de maio, em Ribeirão Preto (SP).

Para mais informações, acesse http://eleva.aero.

Fonte: Por A Lavoura com informações da Eleva. Disponível no Portal da SNA

 

Foto: Divulgação/Eleva

Texto originalmente publicado em:
Disponível no Portal da SNA
Autor: Por A Lavoura com informações da Eleva.

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.