Nesta segunda-feira foram divulgados os novos dados de oferta e demanda para as safras 19/20 e 20/21 de soja em MT. Para a oferta da temporada 19/20, as estimativas não foram modificadas. Já no ciclo 20/21 houve um aumento na produção, devido, principalmente, à previsão de maior área cultivada.

Para a demanda, os dados da safra 19/20 foram reajustados: parte da soja que estava prevista para consumo interno e interestadual foi realocada para a exportação, que já é recorde no estado.

Já na safra 20/21, a perspectiva é otimista para parte das indústrias, que apontaram aumento na expectativa de esmagamento, resultando na projeção de 10,48 milhões de t processadas.

Por fim, para a exportação em 2021, o adiantamento da comercialização – 60,40% até final de set.20 ante a 36,03% da última safra – pode refletir em escoamentos recordes, podendo chegar a 22,67 milhões de t, valor 1,53% acima ao da safra passada.

Confira agora os principais destaques do boletim:

• O Indicador Imea-MT acompanhou as altas em Chicago na última semana e valorizou 0,90%, fechando na média semanal a R$ 154,42/sc. Apesar dos preços elevados, há pouca soja disponível para negociação.

• Os prêmios em Santos alcançaram a média semanal de US$ 2,85/bu, aumento de 46,15% ante a semana passada. O grande fator responsável tem sido a pouca soja disponível no Brasil.



• Na última semana, a valorização da soja se sobrepôs às cotações do óleo e farelo, resultando no recuo da margem de esmagamento em 0,42%.

• As exportações recuaram 46,43% na comparação mensal, porém há de se salientar que MT já alcançou volume recorde de escoamentos neste ano, com 21,80 milhões de toneladas enviadas ao exterior

Chuva!!!:

Depois de muita expectativa (e preocupação), a chuva chegou de forma mais intensa em várias regiões do estado. De acordo com o Aproclima/TempoCampo, os volumes do dia 8 ao dia 18 de out. alcançaram 35,58 mm, ficando próximo do percebido no último ano.

O retorno da precipitação fez a semeadura avançar 5,17 p.p. na semana e alcançar 8,19% da área estimada para a safra. Mas, como os trabalhos continuam atrasados, os sojicultores procuram alternativas para que a “janela” da segunda safra não fique tão prejudicada. Alguns destes, por exemplo, ainda buscam no mercado sementes de ciclo mais precoce para trocar pelos materiais já adquiridos.

Porém, dependendo de como for o clima na fase reprodutiva da cultura, materiais precoces podem apresentar redução de produtividade. De qualquer forma, a possibilidade de a semeadura avançar de maneira mais intensa nos próximos dias é alta, devido aos bons volumes de chuva previstos.

Fonte: Imea

Texto originalmente publicado em:
Imea
Autor: IMEA

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.