Vida longa aos fungicidas

0
227
Pesquisa apontou melhor forma de manejar fungicidas protetores e foi apresentada na estação experimental da Coamo

A utilização de fungicidas protetores/multissítios e o momento de aplicação foram temas debatidos recentemente no Encontro de Cooperados da Fazenda Experimental Coamo. O objetivo foi mostrar à necessidade do uso de fungicidas protetores, em função da perda de sensibilidade dos produtos a base de estrobilurinas e carboxamidas.
Para tanto, duas estações apresentaram diversas questões e resultados relacionados ao tema e contaram com a presença de pesquisadores da Embrapa/Soja de Londrina (Norte do Paraná), que auxiliaram na preparação e apresentação dos assuntos aos cooperados. Entre eles esteve a fitopatologista Cláudia Godoy. Ela recordou que desde a entrada da ferrugem asiática no Brasil, o uso de fungicida tem sido intensificado, permitindo a estabilidade da produção.
Claudine Seixas, também fitopatologista da Embrapa disse que a utilização dos multissítios é uma ferramenta importante que precisa ser preservada. Conforme ela cabe ao produtor cuidar da sua lavoura e seguir as recomendações técnicas e legislativas para evitar a ferrugem asiática.
As pesquisadoras, que nesta manhã de terça-feira (22) foram entrevistas no Informativo Coamo, ainda recomendam começar a safra sem inóculo de ferrugem. Quanto mais tarde aparecer a doença na lavoura, segundo elas, melhor será a condição de controle. É importante que seja adotado um conjunto de ações para que os grupos de fungicidas não percam rapidamente a eficiência.
Serviço: para ouvir o programa que foi ao ar na manhã de hoje CLIQUE AQUI.
Fonte: Portal da COAMO
Texto originalmente publicado em:
COAMO
Autor: COAMO

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.