O termo “janela” é utilizado na agricultura para definir a melhor época para se realizar o plantio das culturas, levando em conta o menor risco de frustração de safra.

A partir da safra 1995/1996, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) passou a disponibilizar informações para os agricultores sobre a melhor época de plantio de várias culturas de acordo com o município, as características do clima, o tipo de solo e o ciclo das cultivares.

A finalidade dessa informação é repassar ao agricultor o período em que há a menor possibilidade de adversidades climáticas, que coincidam com as fases mais sensíveis das culturas, reduzindo, desta maneira, as probabilidades de quebra de safras. Assim, na agropecuária brasileira, estes períodos são conhecidos como “janela de plantio”.

A importância da janela de plantio fica mais evidente quando observamos os agentes financiadores da produção agrícola baseando suas decisões de liberação de recursos a partir da análise da capacidade financeira do produtor e dos aspectos técnicos para a instalação e condução da lavoura, tendo como ponto principal de decisão o período de plantio definido no Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc).



Época da semeadura

Para se ter sucesso no plantio do milho safrinha é importante prestar atenção na época de semeadura, já que, quanto mais tarde for semeado, menor será o potencial produtivo da cultura e maior será o risco de perdas por geada e/ou seca, dependendo da região produtora. Como alternativa para aumentar esta janela de plantio para a cultura do milho safrinha, o uso de cultivares de soja mais precoces é recomendado e essa prática é usualmente adotada.

O uso de cultivares de soja superprecoce ou precoce no sistema soja-milho safrinha tem permitido ao produtor encurtar o ciclo da soja em pelo menos 20 dias, quando comparado ao uso de cultivares de ciclo médio, e em pelo menos 40 dias, quando comparado com as cultivares de ciclo tardio. Embora essa escolha amplie o período de plantio do milho dentro da janela de plantio, muitas reduções têm ocorrido nos patamares produtivos da soja quando comparamos com o plantio de cultivares com ciclos médio, semitardio e tardio na mesma época.

Ainda que as informações estejam disponíveis, alguns agricultores, que adotam em suas áreas agrícolas a sucessão soja-milho safrinha, frequentemente encontram dificuldades no plantio do milho, realizando a operação, muitas vezes, fora da janela recomendada.

Normalmente, a capacidade operacional é suficiente para o cultivo de verão, porém, com a janela menor para a de safrinha, o produtor acaba finalizando a operação de plantio fora da época e colocando a cultura em condições em que o risco de perda de produtividade é iminente.

Assim, para buscar o ajuste da safrinha dentro da época ideal, muitos produtores do Brasil estão adiantando o cultivo de verão com a soja, justamente para viabilizar a segunda safra, mesmo que isso signifique a possibilidade de aumento do risco de frustração da safra de verão.

É importante o produtor conhecer o novo sistema de classificação de ciclo de cultivares, o Grupo de Maturidade Relativa (GRM), que se fundamenta na resposta ao fotoperíodo em práticas de manejo e na área geral de adaptação. O GRM define o ciclo, em dias, da cultura da semeadura até a maturidade fisiológica e estabelece com mais realidade o ciclo da soja permitindo que o produtor conheça melhor forma de cultivar a ser utilizada em sua área de produção.

Resta, portanto, ao agricultor fazer o planejamento mais adequado da propriedade para o sistema produtivo a ser adotado, analisando os riscos e as probabilidades para frustração de safra utilizando tecnologias e informações que permitam maiores produtividades, sem prejudicar o rendimento das culturas selecionadas para plantio.

Conhecer o rendimento operacional (ou seja, quantos hectares por dia são gastos para a semeadura) e os dados de Zarc para o plantio de safrinha, podem definir quais as datas de início do plantio da soja no verão e, principalmente, calcular a área a ser semeada com milho safrinha, podendo explorar o máximo das produtividades das duas culturas.

Sobre a Climatempo

Com solidez de 30 anos de mercado e fornecendo assessoria meteorológica de qualidade para os principais segmentos, a Climatempo é sinônimo de inovação. Foi a primeira empresa privada a oferecer análises customizadas para diversos setores do mercado, boletins informativos para meios de comunicação, canal 24 horas nas principais operadoras de TV por assinatura e posicionamento digital consolidado com website e aplicativos, que juntos somam 20 milhões de usuários mensais.

Em 2015, passou a investir ainda mais em tecnologia e inovação com a instalação do LABS Climatempo no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP). O LABS atua na pesquisa e no desenvolvimento de soluções para tempo severo, energias renováveis (eólica e solar), hidrologia, comercialização e geração de energia, navegação interior, oceanografia e cidades inteligentes. Principal empresa de consultoria meteorológica do país, em 2019 a Climatempo uniu forças com a norueguesa StormGeo, líder global em inteligência meteorológica e soluções para suporte à decisão.

A fusão estratégica dá à Climatempo acesso a novos produtos e sistemas que irão fortalecer ainda mais suas competências e alcance, incluindo soluções focadas nos setores de serviços de energia renovável. O Grupo segue presidido pelo meteorologista Carlos Magno que, com mais de 35 anos de carreira, foi um dos primeiros comunicadores da profissão no país.

Autor: Décio Karam, membro do Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS), Ph.D, pesquisador de Manejo de Plantas Daninhas da Embrapa Milho e Sorgo

Aproveite e tenha informações precisas para poder tomar as melhores decisões, aumentando a produtividade da sua fazenda e evitando demais prejuízos! O Agroclima PRO, um produto da CLIMATEMPO. A melhor ferramenta de Agrometeorologia do mercado.

Fonte: Assessoria de imprensa CLIMATEMPO

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.