Na cultura, é normal haver certo abortamento de flores e vagens. Algumas cultivares apresentam abortamento de até 80% das flores, sem que isso acarrete diminuição dos rendimentos. Porém, o abortamento expressivo de vagens não é normal.

As principais causas do abortamento excessivo de flores e vagens são: temperaturas do ar acima de 38 °C, estiagem ou deficit hídrico. A queda de flores e vagens poderá ser potencializada se esses dois estresses acontecerem concomitantemente.

Por sua vez, o excessivo número de dias com céu densamente nublado e grandes volumes de chuva, por períodos prolongados, imediatamente antes ou durante e após a floração, podem propiciar o excessivo abortamento de flores e vagens. Esse abortamento anormal poderá ser reduzido ou até evitado por meio do uso de práticas de manejo do solo e da cultura que ofereçam condições ótimas de aeração, infiltração e armazenamento de água no solo.

Qual é o efeito causado pelo sombreamento (baixa luminosidade) na produtividade da soja?

O sombreamento provocado por dias nublados reduz a produtividade quando ocorre a partir da floração da soja, aumentando com a aproximação da fase de enchimento de grãos, quando as perdas de produtividade são maiores, podendo chegar a 50%.
A produtividade pode ainda ser prejudicada de forma indireta, pela alteração da estrutura da planta causada pelo crescimento excessivo e pela ocorrência de acamamento.

Quais são os efeitos causados pelas temperaturas baixas durante o cultivo da soja?

No estabelecimento da cultura, as temperaturas baixas diminuem a velocidade de emergência. Durante o desenvolvimento, inibem ou reduzem a velocidade do crescimento, provocam acamamento, alongam o ciclo e atrasam o florescimento. Na maturação, associadas à alta umidade, elas causam retenção foliar e atrasam a colheita.

Quais são os efeitos causados pelas temperaturas elevadas durante o cultivo da soja?

As temperaturas elevadas prejudicam o estabelecimento das plantas, agravam efeito de veranicos, reduzem o crescimento, antecipam a floração (com plantas baixas), causam aborto de flores, diminuem a retenção de vagens, facilitam o estabelecimento de algumas pragas, dificultam a pulverização de produtos, encurtam o ciclo e aceleram a maturação. Na colheita, promovem danos mecânicos nos grãos e nas sementes, principalmente quando associados à baixa umidade, prejudicando assim a qualidade das sementes e dos grãos.

Fonte: EMBRAPA. Coleção 500 Perguntas – 500 Respostas: o produtor pergunta, a EMBRAPA responde, lançado pela EMBRAPA em 2019.

Editores Técnicos: Arnold Barbosa de Oliveira; Regina Maria Villas Bôas de Campos Leite; Alvadi AntônioBalbinot Junior; Claudine Dinali Santos Seixas; Hugo Soares Kern

Texto originalmente publicado em:
Embrapa: coleção 500 perguntas - 500 respostas
Autor: Embrapa: coleção 500 perguntas - 500 respostas

Nenhum comentário

Deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.